quinta-feira, dezembro 27, 2007

Nojeira

Depois desta época natalicia, de shoppings a abarrotar, a febre das compras, as ofertas rascas, as ruas cheias de gente, só me apetece fazer como o Rogério Samora e gritar:
TANTOS PORTUGUESES!QUE NOJO!

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Brasil Invasion

Parece que a admiração de Sócrates pelo Brasil vai muito para além de homens em sunga.Pois é meus caros, é já daqui a pouco tempo que vamos todos começar a falar brasileiro, com a aprovação duma lei qualquer que nos vai mudar o vocabulário. Identidade Cultural? Pfff, mas o que é isso?
A mim o que me custa é saber que os meus filhos nunca vão saber a doce onomatopeia que a palavra Pachacha constitui. Nem nunca irão insultar paneleiros, mas sim veados. E já notaram como a palavra Caralho soa tão mal com sotaque brasileiro?
Embora todos saibamos que o verdadeiro plano de Sócrates é atrair jovens praticantes de capoeira, não deixa de ser triste ver a nossa língua portuguesa a moldar-se a vontades alheias. É que se esta merda tem alguma coisa a ver com a emigração, não tarda muito estamos todos a falar ucraniano.

terça-feira, dezembro 18, 2007

Não me mates Pai Natal

Nem é que goste assim por aí além destes rapazinhos. Mas que este vídeo tem pinta lá isso tem. Alguém me oferece uma camisolinha daquelas?

BOAS FESTAS PESSOAL. Vá corram para o shopping mais próximo. Não se esqueçam da prenda do Robene.

sábado, dezembro 15, 2007

Animal familiar

Robene:Muito bem, então para dar este medicamento à sua filha na dose certa preciso de saber o peso dela. Quanto pesa ela?
Pai: Ela é um bem gorda. Deve pesar 50 kg.
Robene: Então é muito fácil, basta pegar nesta seringa e...
Pai: Não se preocupe. Eu estou habituado a dar esse antibiótico aos animais.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Isto sim, é Natal

Há quem diga que é o Sozinho em Casa. O música no coração. Até mesmo o ET.
Estão todos errados. Os Gremlins é que é o verdadeiro Filme de Natal.
Quem não se lembra das três regras de ouro?
1-Não o deixar à luz
2-Não o molhar
e muito especialmente
3- Não o alimentar depois da meia noite

Ah, pois é! Os Gremlins! Até a musiquinha me deixava petrificado de medo.

Agora todos juntos:
With Mogwai comes great responsability!

(Oh! Oh! Oh!)

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Tempo de divertimento

Sim, eu sei. Este blog está quase a deixar de ser o Xarope, para se passar a chamar Eu estou a ficar velho e apetece-me chatear outras pessoas com isso.
Mas estou-me a cagar para vocês. Decidi hoje ensinar-vos uma coisa nova, um novo conceito. Chama-se Tempo de divertimento

Fui eu que o inventei, claro. Tempo de divertimento define-se como o tempo em que efectivamente estamos a fazer coisas que gostamos. Pode ser calculado a partir da seguinte fórmula: Tempo de divertimento=Sexo+copos+olhar para decotes.
A triste verdade é que este tempo de divertimento, cuja unidade é o Robenertz, em honra do seu inventor, vai diminuindo à medida que a idade vai aumentando. É uma relação de proporcionalidade inversa. Se aos 20 anos a variável sexo atinge valores na ordem das 4 horas por dia, aos 25 anos ela desce para 2 horas...por semana. Daqui resultam vários factos prejudiciais: uma pessoa passa mais tempo a navegar na internet a ver porno, trabalha menos, as coisas atrasam-se, o trabalho não rende, o patrão fica fodido, e uma pessoa é despedida. O desemprego aumenta, não se pode pagar casa, a namorada acaba connosco, e o pessoal passa o tempo todo a bater punhetas enquanto lê a secção de dúvidas sexuais da Maria.
E aqui está a resposta a esta pergunta que o Cavaco tem feito incessantemente: Porque é que os portugueses não têm mais filhos?

Porque o tempo de divertimento diminui!

quinta-feira, novembro 29, 2007

Volta Via

O homem é um bicho estranho. É incrível como é fácil habituarmo-nos a um lugar e fazer dele uma espécie de segunda casa. A Via Latina, era a minha segunda casa cá em Coimbra. Era uma discoteca escura, não cheirava lá muito bem e não tinha nenhum sistema de ventilação. Saíamos de lá defumadinhos, suados e sem excepção bebados.No entanto tinha um andar de cima que passava rock. E conheciamos-lhe os cantos todos, fruto de noites inteiras em dias consecutivos a dançar e a beber.
Fui lá na terça feira, depois de um ano de ausência. Para além de ter muito menos gente que na minha altura, estava pintada de branco! Um branco luminosos, que fazia com que conseguissemos ver alguma coisa, ao invés do lusco fusco agradável de antigamente. E sacrilégio maior, na parte de cima, onde ouvíamos os nossos amigos Smashing Pumpkins e Yeah Yeah Yeahs, passava agora...Quim Barreiros! É verdade, o povão (na sua maioria uns imberbes bem mais novos que eu, apesar de eu estar extremamente bem conservado) cantava e dançava alegremente a 'garagem da vizinha'.
Há memórias em que é melhor não mexer.

(Ao menos os finos continuavam ao mesmo preço!)

sexta-feira, novembro 16, 2007

Isso mesmo

A minha série favorita. O meu discurso favorito.

Pensamento do dia

Vê lá se nessa luta incessante em quereres ser diferente te tornas único.

segunda-feira, novembro 12, 2007

Parabéns

Decidi hoje arrumar o quarto. Após o encontrar, começo a árdua tarefa de tirar cotão acumulado de 6 anos. E eis que encontro um molho de postais antigos. Abro um deles, de quando fiz 20 anos.
Por entre mensagens de «felicidades», «gostamos tanto de ti Robene», e «ontem á noite deste-me 4 orgasmos», encontro a mensagem do G.
A mensagem do G. diz assim: «Quem não encontra tempo para o desporto, encontrará tempo para a morte».
Foi a mensagem mais sincera de parabéns que acho que alguém alguma vez recebeu.
Ok, G. ganhaste. Deixei de fumar há 1 semana e dois dias. E já engordei 1 quilo. Gordinho, mas saudável.

sábado, novembro 03, 2007

Esquemas

'A directora clínica do Hospital de Faro reconheceu hoje que alguns doentes correm risco ao deslocarem-se às urgências da unidade, mas esclareceu que esse risco se restringe aos idosos, obrigados a ficar demasiado tempo em contacto com outros doentes.'

Ou muito me engano ou esta senhora tem já a cabeça a prémio. Então ela vem para aqui denunciar o plano secreto das farmácias?
É obvio que as longas horas de espera nas urgências têm um único propósito: produzir pessoas doentes e assim encher a pança aos donos de farmácias.
O esquema é simples:
Dona Gertrudes está com gases. Sente uma pressão no peito e corre para as urgências pensando que lhe está para dar o badagaio. Enquanto espera, doentes profissionais contratados pela ANF e seus associados tossem-lhe para cima e disfarçadamente enfiam ovos de lombrigas na água com açúcar da velha. A idosa, que inicialmente só tinha gases presos, sai de lá com antibióticos para a pneumonia e desparasitantes para a família toda, incluindo o cão.
E é assim que eu ganho o meu dinheiro ao final do mês. Honesto!

terça-feira, outubro 30, 2007

Contradições...

No café:
Robene: Então G., que tal andam a correr as aulas de catequese?
G: Melhor, ando a ensinar a palavra de Cristo, devemos todos amar-nos uns aos outros.
Robene: Pois, pois.
G: As crianças devem aprender logo desde novas as virtudes desta vida, o amor, a calma, a honestidade, a sinceridade.

No carro do G:
Robene: O que é que andas a ouvir?
G: Epá, é muita bom: Censurados! Curte lá esta!

(refrão da música): A minha cabeça está uma ganda Confusão. E tua também, meu ganda filho da putaaaaaaaaaaaaaaaaa.

domingo, outubro 28, 2007

À noite, com gajas.

Ontem fui sair só com gaijas. Eu e o meu harém pessoal, 5 formosas amigas. A meio do jantar começam todas a queixar-se que eu as trato muito mal aqui no blog, que as pessoas devem pensar que as amigas do Robene são de baixo nível, e que até nem se sentem bem a sair à rua comigo, com medo que as identifiquem.
Por momentos fico cabisbaixo, a pensar 'Será que estes seres têm razão?'

Seguiu-se uma noitada de copos e festa das latas.
Seguem-se, ipsis verbis, algumas frases proferidas pelas minhas alegres companheiras.

Amiga Z.- Pois é Amiga S. tu gostas é daqueles gajos com ar de quem precisa de um banho.
Amiga S.-O que eu preciso é de um banho de esperma.

Amiga S.- Robene, reparei no teu rasganço que tens a pila mais bronzeada que o amigo G.

Amiga B.- Epá, aquele gajo é todo bom.
Robene: Então vai lá ter com ele.
Amiga B.- E digo-lhe o quê? Olá sou a B. e quero que me fodas?
Robene: É capaz de resultar.

Amiga B.- Foda-se, só de olhar para aquele gajo estou a ficar toda húmida.

Amiga Z.- Olha para aquele gajo a dançar. Parece um paneleiro.
Amiga S.- Humm...até é bom o rapaz, mas realmente é um bocado bicha.
Amiga B.- Epá então está bom para mim. Todos os gajos com quem me envolvo acabam por ser paneleiros.

Não caras amigas. Não me parece que as pessoas tenham a ideia errada de vocês.

segunda-feira, outubro 22, 2007

Darfur

Conversa de café no outro dia.

Amigo do Robene: Opá, as aulas de catequese que estou a dar têm sido um inferno. Os putos não se calam, andam todos ao monte, credo...
Robene: Pois, essas criaturas adoráveis. Mas afinal que raio dás tu nas aulas?
Amigo: Epá, na última aula falei do Darfur.
Robene: Do quê?
Amigo: Do Darfur, o conflito.
Robene: Mas estás bêbado ou quê? Essa merda nem a mim me interessa, quanto mais a miúdos de 10 anos.
Amigo: Mas eles têm de saber estas coisas! Há um conflito e pessoas estão a morrer e bláblábláblá, pardais ao ninho, eu sou um bocado chato.
Robene: Já percebo como é que os putos são tão inquietos na tua aula. Olha vou para casa ver porno na internet e beber cerveja.

quinta-feira, outubro 18, 2007

Mika - Relax, Take It Easy (Official Music Video)

Ajudem-me por favor. Dêem-me electrochoques. Esbofeteiem-me. Cortem-me o mimdinho. MAS TIREM-ME ESTA MÚSICA DA CABEÇA. (não....pára!...pára de abanar a anca)

terça-feira, outubro 16, 2007

Money, Money, Money

Decidi no outro dia investir parte das minhas poupanças em fundos. Perceber o linguajar do pessoal dos bancos é tão fácil como enfiar melancias pelo olho do cú.
Felizmente durante anos vivi com pessoal de economia, e estas coisas dão sempre jeito. É por isso que mantenho amizades com pessoal de medicina.Um dia vou precisar de quem me passe receitas de Xanax, sem pagar consultas. O meu sonho é não precisar de trabalhar e simplesmente aproveitar-me de favores dos amigos.
Bem, depois de horas a tentarem-me explicar o que significa fundo, acção, liquidez, e a diferença entre euro e escudo, lá investi boa parte das minhas poupanças num fundo XPTO.
E pronto. Agora passo todos os meu dias no BPIonline. Fico em extâse quando o fundo cresce 0,0000000000001%. Quase choro de pânico quando o fundo desce. Deixei de comer, e de tomar o meu banho semanal, para estar sempre e ver o Bloomberg. Só vou a cafés com wireless, e mesmo no trabalho não paro de pensar em quanto posso estar ganhar ou a perder.
Mas eis senão quando as minhas esperanças de riqueza fácil e vida desafogada vão por água abaixo. Aparentemente investi num fundo de baixo risco. O que quer dizer que só ganho, preparem-se, 0,99 euros por mês. Sim, leram bem, menos de um euro.
E ainda tenho de gramar com aquele cabrão do Cristiano Ronaldo no anúncio do BES: O seu dinheiro é como eu, parado não rende.
Eu quero é que o Cristiano se foda.

Hi5 velhos

Uma pessoa percebe que está a ficar velha quando já não sente necessidade de ir ver se tem visitas novas no perfil do Hi5.

sexta-feira, outubro 05, 2007

Foi feitiço.

Atendi o André Sardet no outro dia.
O André não é particularmente simpático. Não é lá muito bonito. Suspeito que nem seja humano, uma vez que escreveu aquelas músicas cujo único propósito é darem em títulos de novelas da TVI. E está a ficar careca.
A minha patroa correu a por a música dele. Passados minutos ecoava no ar aquela cantilena do inferno 'quando eu te falei de ammmmoooooooooooooooooooooooooooor'.
Tive de conter os vómitos.
O André passou o tempo todo a tratar-me por tu, como se tivéssemos grandes intimidades. Estive para lhe dizer que não, que não era um desses betos que anda num Peugeout cabriolet a ouvir Mafalda Veiga e a passar fins de semana no Alentejo. Nem sequer sou monárquico. Mas não quero perder o emprego.
Quando lhe perguntei em que nome ia o recibo, ele olhou para mim como se eu tivesse feito a pergunta mais idiota do mundo. Disse: 'vai no meu'. Por uns segundo ainda estive para lhe pergunta qual era o nome dele. Mas só para o foder passei-lhe o recibo em Ander Sradete.

Amigos da cibernet!

Ok, ok respondendo ao repto das macacas!

Página 161, parágrafo 5:
'Será que já conhecia Clayton nessa altura?'

Lunar Park de Bret Easton Ellis

E agora lanço o desafio a (tchan tchan):

Trindade, do last uncrashed antonov (Obrigado pá, pelo prémio!)
Maria, do blog da maria
Mia, do Pulp Fashion
Black Cat, do Seven black Cats

Há dias...

Hoje acordei com dor de garganta.
Cortei-me a fazer a barba. Não tive tempo de tomar o pequeno almoço. O primeiro passo que dei na rua foi em cima de um cagalhão semi-líquido do Lulu da vizinha. O carro (novo!) não queria pegar. A patroa (obviamente bipolar) andou aos berros comigo por causa de uma receita. O tabaco acabou-se-me. O meu computador avariou-se. Deu-me alta borra a meio da tarde e quase que não tive tempo de chegar a uma casa de banho. Fui tomar café à noite. Bocejei 300 vezes e vim para casa.
Estou um bocado mal humorado. É que hoje acordei com dor de garganta.

quinta-feira, outubro 04, 2007

Desafios

Macacas: já li o vosso desafio, e prometo que vou responder!

Trindade: Não te preocupes! Este blog não há-de fechar!

Resto do mundo e arredores: O meu computador fodeu-se! Está para arranjar. Parece que não aguentou o meu hálito pós-rasganço! Por isso ando a escrever tão pouco! Mas não se preocupem! O Robene não se esquece de vocês!

uma imagem vale mil palavras

segunda-feira, setembro 24, 2007

Robene e gatos

Caros colegas (e toda a gente sabe o que colegas quer dizer), dêem uma olhadela ao blog http://sevenblackcats.blogspot.com/ . Estou aí a dar a minha contribuição para tornar o mundo melhor. Advinhem lá que gato sou eu...

quarta-feira, setembro 19, 2007

Rasganço

Robene: Olá XPTO. Estou-te a ligar para te convidar para o meu rasganço.
XPTO: Rasganço? O que é isso?
Robene: É uma tradição em Coimbra. Quando acabas o curso, os teus amigos rasgam-te o traje e deixam-te nu.
XPTO (ligeiramente excitado): Nu? Todo nu? Vais rasgar sozinho?
Robene: Não...uns amigos e amigas também vão...
XPTO (ouvem-se sons de regozijo do outro lado): GAJAS????E ELAS TAMBÉM FICAM NUAS??QUANDO É QUE É? CONTA COMIGO!

Impressão minha ou alguém ainda está na adolescência?

terça-feira, setembro 18, 2007

Enfant Terrible

Corinne Maier. Fixem este nome. Esta senhora é uma escritora francesa que deve ser a única mulher elucidada do planeta: escreveu um livro cujo título é: 40 razões para não ter filhos.
Pois é. Também eu ando farto de levar com mamas ao léu em plena esplanada de café com o intuito de alimentar os pequenotes. Ando farto de não poder fumar em sítios em que estejam criancinhas. E muito especialmente ando farto de ter de fazer um grande sorriso e meter uma espécie de conversa paternal-ó-pra-mim-que-até-já-podia-ser-teu-pai com toda a criatura com menos de 5 anos que me aparece na farmácia.

Corinne Maier descreve algumas razões pelas quais está arrependida de ser mãe:
-Dar à luz equivale a ter um alien a rasgar as entranhas;
-Amamentar é o mesmo que escravidão;
-Tem de se aprender uma linguagem de idiotas para comunicar com o seu rebento;
-Diga adeus ao desejo sexual;
-Cada filho que nasce é um verdadeiro poluidor para o ambiente;
-Quando o filho aparece, o pai desaparece;
-É impossível ter uma carreira de sucesso, quanto mais sair à noite.

Esta deve ser a única mulher do mundo com as ideias no sítio.

sábado, setembro 15, 2007

Miopia

Para mim o mundo não se divide em homens e mulheres. Nem em pretos e brancos. Para mim o mundo divide-se em míopes e não míopes. E eu pertenço claramente aos primeiros.
Ainda me lembro da primeira vez que usei óculos. Foi quando finalmente percebi os inúmeros gritos de pessoas quando eu ia a passear na rua 'Rapaz, olha o carroooooo!', e as inúmeras buzinadelas de automóveis que me pareciam extremamente longe, quando na verdade estavam quase quase a deixar-me paraplégico.
Isto tudo para dizer que tenho saudades dos meus óculos antigos. Sim, esses mesmos, que durante um abraço de grupo, ao som do 'I will survive', na última queima, me saltaram da cara e acabaram esmagados sob os sapatos de algum obeso indecente.
Sim, esses óculos que estavam mais que sujos de dedadas, riscados, sem côr e completamente laços.
E sim, esses óculos que me acompanharam a faculdade inteira, e que me deveriam acompanhar no rasganço.
E aí sim, podiam partir-se.

quarta-feira, setembro 12, 2007

Cucu! Olha quem está espreitar!

Hoje tive um momento ainda mais embaraçoso do que a actuação da Britney nos prémios da MTV.
Enquanto nadava bruços um dos meu tomates saiu pela perneira dos calções...

Lição de hoje: Não deixar os calções ao sol durante o mês de Agosto, porque eles vão encolher!

terça-feira, setembro 11, 2007

Burocracias...

A minha maravilhosa experiência no mundo da burocracia...

Capítulo I: Achavas mesmo que era assim tão fácil?

Local: Secretaria geral da UC.
Robene: Queria a certidão e diploma de licenciatura.
Funcionária: Os papéis?
Robene (sentindo-se num episódio do Gato fedorento): Quais papéis?
Funcionária: Tem de ir à filantrópica pedir os papéis.


Capítulo II: E a saga começa...

Local: Filantrópica da UC.
Robene:Quero os papéis para o diploma de licenciatura.
Funcionária: São 12 euros e meio.


Capítulo III: E não sabias ter dito isso logo, ó Cabra?

Local: Secretaria da UC.
Robene: Aqui estão os papéis.
Funcionária: Já efectuou o pagamento?
Robene:Os 12,5 euros?
Funcionária: Não. Os 125 euros.

Capítulo IV: Foda-se para esta merda...

Local:Multibanco
Robene procura freneticamente nos papéis. Não encontra caralho de NIB nenhum.

Capítulo V: Time is running out...

Local:Filantrópica.
Robene lá encontra afixado num cartaz meio escondido por um borrão o caralho do NIB.

Capítulo VI: Agora vem a espera maior.

Local: Secretaria da UC.
Robene: Pronto, veja-me lá se já está tudo...
Funcionária: hummm...sim...agora só tem de esperar 2 semanas.



Esperem lá...eu andei alguns 30 kilómetros, paguei mais de 130 euros e ainda tenho de esperar 2 semanas?
Ai querem mais férias funcionários públicos?

Coisa mai' linda!

Há coisa mais bonita que o cheiro a carro novo?

quarta-feira, setembro 05, 2007

R.I.P.

Para mim serás sempre o primeiro.
Chamei-te Fordinhas. Eras branco e comprido. Uma vez até te chamaram de frigorífico com rodas, insultos aos quais eras obviamente surdo.
Quando aceleravas largavas nuvens de fumo preto que provocavam o despiste dos outros carros. O travão de mão tinha de ser esticado até ficar na vertical, coisa que agradava bastante às tuas ocupantes femininas. Mesmo assim, não te podia estacionar em subidas nem descidas, porque corria risco de te encontrar espetado no muro mais próximo. Bebias gasóleo como um Boeing 747. E não andavas nada.
Já estavas velho. Pudera! Durante anos, em virtude de teres apenas 2 lugares, carregaste com multidões inteiras na tua bagageira. Que saudades dessa gente aos gritos na parte de trás 'Robene, vai mais devagar, acabei de partir o pescoçooooooo!'.
Ainda te lembras daquela vez em que partimos uma garrafa de tinto no rabo do Miguel? Durante uma semana cada vez que abria a tua porta lá vinha o bafo a vinho. Ou daquela vez em que inadvertidamente me esqueci de limpar um vómito do teu banco, que ficou a fermentar ao sol (até a Carla se sentar em cima dele).Ou então a pirisca que ficou esquecida a queimar o teu assento...
Vais agora ser substituído. O novo carro da minha vida é japonês, e chama-se Yaris. Mas tu Fordinhas...Tu serás sempre o meu primeiro!

Ford Escort (ou 'O Favaios')
R.I.P.
1995-2007

sábado, setembro 01, 2007

Juventude Alexandre parte II

Na farmácia:

Velhota (amorosa): Olá!
Robene: Boa Tarde!
Velhota (espirituosa): Queria um frasco de juventude!
Robene: (ai que velhota tão engraçada). Eheh pois isso todos queríamos! Mas acho que não encontra à venda em lado nenhum! Eheheh.
Velhota (passa de amorosa a meio maluca): Pois, pois, mas eu queria um frasco de Juventude Alexandre.
Robene: (esta deve ter fugido da ala da psiquiatria). Pois, mas olhe eu não sou o Alexandre. Eheh (riso hostil, coisa em que sou muito bom)
Velhota: (olha para mim e ri-se.)
Robene: (riso ainda mais hostil. Preparo o pé de cabra para lhe mandar no focinho caso a maluca da velha se passe dos cornos)
Dr. XPTO: Ah, quer um frasco de Juventude Alexandre, não é Srª XPTA?
Velhota: Sim, sim.

Conclusão: Juventude Alexandre é um tónico capilar que transforma os cabelos brancos em pretos! Gostava de conhecer esse génio do marketing que se decidiu por este nome.

sexta-feira, agosto 31, 2007

Juventude Alexandre

Esqueçam a Madeleine que anda algures a servir de acepipe a respeitáveis homens de família escandinavos. Esqueçam as fogueiritas na Grécia, que se fosse eu aproveitava era para assar umas chouricitas. Esqueçam até o pobre Pepe, que se lesionou na coxa, e não vai poder jogar na Selecção (notícia que por si só já ofusca as duas anteriores).

A verdadeira tragédia aconteceu hoje, em minha casa.

Acordo para o mundo, naquele que parece ser mais um dia normal. Mas não o é.
Estou eu calmamente a pentear-me, usando a minha cera ultra cara, (que alguém me disse que custava apenas 8 euros, quando na verdade me custou 15 (não é Gala?)), quando reparo na catástrofe. EU TENHO UM CABELO BRANCO! É verdade! O meu primeiro cabelo branco.
Num instante a minha vida passou em flashback (ou flashforward, uma vez que o que vi foi o futuro): impotência sexual, vontade de mijar 50 vezes por noite, cancro da próstata, filhos adolescentes que exigem dinheiro para tatuagens, bordéis rançosos, putas baratas, vinho tinto de marca branca e SG ventil.
Sim, o meu futuro não me pareceu grande merda. Mas é um cabelo branco muito grande!

(agora decifrem lá o título do post! Pago umas cervejas ao gajo que me decifrar esta merda!)

segunda-feira, agosto 27, 2007

Burn motherfucker, burn

«O primeiro ministro grego, Costas Karamanlis, declarou hoje o estado de emergência em todo o país devido aos múltiplos incêndios florestais que, segundo um balanço provisório, já fizeram 44 mortos.
Numa mensagem ao país, Karamanlis explicou que a decisão foi tomada «para permitir a mobilização de todos os meios e de todas as forças para parar o mal (...) e começar a reparar o que foi destruído».
Qualificando os incêndios florestais de «tragédia nacional», o primeiro-ministro grego anunciou uma série de medidas imediatas, entre as quais ajudas financeiras e alojamento para as populações afectadas.
»

Ora cá está! Ai esses cabrões dos Gregos achavam que nos deixavam sozinhos na cauda da Europa?
Aqui o Robene, que nunca engoliu bem a ideia dos Gregos estarem economicamente acima de Portugal, decidiu voar até à Grécia e entre umas saídas nocturnas com a Irina Papanikolaus e a Zradva Politopaulos, teve tempo para começar uns fogos nos arredores de Atenas.
Faço tudo para que Portugal suba no escalão da UE.

segunda-feira, agosto 20, 2007

Hora Coca Cola

Quando eu entrei para a faculdade (há coisa de milénios) havia uma coisa que eu bebia (ainda) mais do que cerveja.
Era Coca Cola.
Digamos que nesse saudoso ano de 2001 a Coca Cola lançou uma promoção. Juntavas não sei quantos rótulos e ganhavas prémios. E lá estava aquilo com que eu sempre sonhara: um Puff! Melhor ainda, um Puff Coca Cola. Só tinha de juntar 850 rótulos. Sim, leram bem, 850.
Comecei a beber Coca Cola descontroladamente. No início eram só uma ou duas. Depois começaram a ser 4 ou 5. Passados dois dias comecei a beber 2 garrafas de litro e meio de Coca Cola por dia.
Comecei a dar por mim a olhar para outras mesas nos cafés à procura de rótulos. Quando as pessoas se iam embora, eu corria avidamente para as mesas e roubava os rótulos.
Começou também uma espécie de movimento de ajuda ao Robene. Uma vez, o Gonçalo trouxe-me 20 rótulos que uma amiga da irmã dele tinha sacado de um casamento de um primo afastado. E eu continuava cada vez mais descontrolado: Bebia Coca Cola a toda a hora, lavava os dentes com Coca Cola, comia os cereias com Coca Cola, só pensava em Coca Cola e no meu belo Puff.
Até que um dia acordei com uma dor forte nas costas. Ok, não era forte. Era MUITO forte. Corri para as urgências onde me diagnosticaram...uma PEDRA NOS RINS! Sim, à custa de tanta Cola ganhei uma pedra nos rins, coisa que a maioria das pessoas só tem para aí aos cinquenta anos. Lá andava o Robene com botijas de água quente atrás para aliviar as dores, e a enfardar Tramadol como se fossem tic-tacs.
Mas por fim, o dia tão esperado...O meu puff havia chegado.
O puff, que no anúncio televisivo parecia do tamanho de uma cama king size, era afinal uma merda que conseguia albergar no mínimo uma pigmeu raquítico. Ainda tentei reclamar com a Coca Cola e obrigá-los a pagar os meus medicamentos, mas os gajos nunca me deram resposta.
O puff ainda está no meu quarto. De cada vez que olho para ele, até me dá uma dorzinha nas costas.


(Hoje no drive do Mac:
Empregada: Quer Coca Cola zero no seu menu?
Eu: Qual é a diferença?
Empregada: A Coca Cola zero tem todo o sabor da Coca Cola normal, mas não tem açúcar.
Eu: Pensava que isso era a Coca Cola Light. Qual é a diferença?
Empregada: A Coca Cola Zero tem todo o sabor da Coca Cola normal, mas não tem açúcar.)

Algo se passa...

de errado na minha vida, quando ligo sábado de manhã à minha mãe e ela está a dormir, enquanto eu estou a ir para o trabalho.

sexta-feira, agosto 17, 2007

Condução defensiva

Para aqueles que me insultaram na auto estrada no último fim de semana, por ir APENAS a 100 km/hr, aqui fica a minha terrível experiência de vida automóvel...

O meu instrutor de condução era um armário venezuelano chamado Juan Carlos (querem mais cliché?) que se estava a cagar se eu atropelava velhas amorosas em passadeiras, desde que não lhe fodesse a fronha latino-americana. As minhas aulas de condução foram verdadeiras anedotas que me fizeram tornar no Mika do automobilismo (só pode ser uma mulher que está a cantar/conduzir. Não, afinal é um homem). Senão vejam lá:

Situação nº 1, aula nº 3:
Robene (já de si afectado por ter de dizer o nome Juan, em sotaque espanhol): Juan, estamos numa subida. Como é que eu faço o ponto de embraiagem?
Juan (olhando para uma loura na rua): Ahhhhh, isso é muy fácil. Carregas no acelerador e embraiagem al mismo tiempo. E equilibrias todo.

Situação nº2, aula 9:
Juan: Vas a hacer el contorno de passeio em marcha atrás. jo voy hacer um telefonema muy importante.
(1 minuto depois)
Robene: Juan, Juan, socorro. Estou quase a mandar o carro desta ribanceira abaixo!

Situação nº 3, aula 25:
(rádio na RFM. Começa a passar Alejandro Sanz)
Juan: AIIIIII madre mia, jo adoro esta música. (altos berros) E SE TU TE VAS TES EMOCIONES, QUIM MI VAI CURAR EL CORAZON PARTIO?????!!!!


E sim, chumbei na condução a primeira vez.

Diga lá outra vez?

Tenho andado muito triste porque com o meu horário de trabalho já não consigo apanhar os morangos com açúcar na televisão. Já não sei o que hei-de vestir, como me hei-de pentear nem quais as expressões buédafixes que a juventude usa agora (isto obviamente tem-me dificultado o engate de jovens de 15 anos, que por alturas de Agosto pululam pela noite).

No entanto apanhei uma entrevista muito curiosa de uma jovem actora (ahah get it?) dos morangos:
Entrevistador: Como caracteriza a sua personagem?
Jovem actora: É uma personagem meiga, lutadora, bondosa, que se interessa muito pelos outros.
Entrevistador: Foi difícil entrar na pele da sua personagem?
Jovem actora: Sim, porque ela não tem nada a ver comigo.

E quem diz a verdade não merece castigo.

terça-feira, agosto 14, 2007

É impressão minha...

ou Albufeira é um verdadeiro resort de quengas?

sábado, agosto 04, 2007

Disfarça

Quinta Feira: Balde gigante de pipocas+tremoços+amendoins+cerveja

Sexta Feira: Incrível crise de gases. Robene dirige-se discretamente para o laboratório da farmácia onde inicia uma descompressão deliciosa (entenda-se peida-se à fartazana). Robene sente passos na sua direcção. Inteligentemente pega numa caixa de cristais de mentol e abre-a.

Drº XPTO: Hummm, que cheiro é este?
Robene: Hehe (risinho suado), cheiro? Não estou a sentir nada.
Drº XPTO: Ah, é mentol (inspiração profunda). Adoro este cheiro.

Os velhos

Sábado, nove da manhã. Saio de mais um fantástico serviço nocturno da farmácia. Reparo num estranho fenómeno. As ruas estão cheias de velhos. E não falo de um velho aqui e ali, falo de centenas, talvez mesmo milhares de velhos que impedem a minha chegada a casa. Eles atravessam-se nas passadeiras, eles mudam de faixa sem assinalarem piscas, eles tentam furar-me os pneus com muletas afiadas nas pontas.
Tenho uma teoria: Os velhos aperceberam-se que já não lhes resta muito tempo, por isso decidem aproveitar a escassa vida que lhes resta, acordando com as galinhas e dificultando a vida a pobre gente trabalhadora como eu.
Não sei porquê, mas todo este cenário me lembra «Os pássaros» do Hitchock. Eu se fosse a vocês começava a ter cuidadinho.

quarta-feira, agosto 01, 2007

Programa cultural

É isto que acontece quando tento dar uma de intelectualmente culto:

-Teatro experimental: Paguei 5 euros. A peça chamava-se qualquer coisa como «horas à esquerda» ou «duas horas da esquerda» ou uma merda assim. Consistia numa gaja de joelhos, a percorrer o palco e a gritar «Onde? Oh onde anda o meu príncipe encantado?». Suponho que andava à procura do príncipe para lhe fazer um broche, senão podia muito bem ter poupado os joelhos. Ao fim de 5 minutos estava cá fora a fumar um cigarro.

-Teatro Universitário: Lembro-me de a Mia me ter convidado a ir ver a sua peça, no mesmo dia em que eu tinha combinado um jantar de curso. Saí do jantar de curso e fui directo para o teatro. Bebâdo. Terrivelmente bebâdo. Quando vejo a Mia a entrar em palco tento acenar e faço mil e uma fosquetas para lhe chamar a atenção. Ela olha para mim de forma lancinante, como que a dizer «Caralho, tá mas é quietinho». Passada meia hora o Gonçalo, que gentilmente acedeu a ir comigo, pergunta ao ponto quanto é que aquilo ainda dura. Nenhum de nós percebeu nada da peça e ainda nos perguntamos como é que não vomitámos o teatro todo.

-Bailado: Sim, é verdade. O bailado dos cisnes. 20 euros para ver homens de lycra aos pulinhos e gajas com 20 quilos em pontas de pés. E aquela merda durou mais de 2 horas.

-Lost in translation: «Oh, o filme do ano!!!», «Ai, este filme mudou a minha vida!». Quando a Sofia Coppola recebeu o Oscar pelo argumento referiu que tinha bloqueado na página 12 do script. Alguém me explica como é que aquela bosta de filme tem tantas páginas de argumento?

sexta-feira, julho 27, 2007

Simpson.Robene Simpson.

Sim, eu sei, durante anos que não conseguem dormir, tentando imaginar como é o Robene na vida real. Para vos satisfazer a curiosidade (sexual) decidi finalmente partilhar com vocês uma foto minha. Eis o Robene na vida real:



Digam lá que eu não sou giraço!

(obrigado às macacas pelo link!)

Vitinho

Robene aos 5 anos:
-Acreditava em gambuzinos, e jurava a pés juntos ter visto um
-Apanhei lombrigas
-Limpava o ranho à manga da camisola
-Tinha selos nas cuecas
-O pato Donald era o meu ídolo
-Sabia as músicas da pequena sereia
-Dava beijos na boca aos cães

É triste constatar que vinte anos depois a única coisa que mudou é que agora já sei que não existem gambuzinos.

quarta-feira, julho 25, 2007

Mulher à beira de um ataque de nervos

Após horas longas a tentar arranjar estacionamento, consigo finalmente encontrar um lugarzinho perfeito para o meu Fo(r)dinhas (eu dou sempre nome aos carros). Saio do carro. Vejo uma mulher esbaforida a vir ao meu encontro.

Mulher (à beira de um ataque de nervos): TIRE JÁ DAÍ O CARRO!
Robene: Como?
Mulher (olhos flamejantes, trunfa loira a abanar): NÃO VIU QUE EU IA ESTACIONAR AÍ????
Robene: Eu ando há tanto tempo como a senhora a tentar arranjar lugar. Não tenho culpa que não tenha visto este estacionamento.
Mulher (entra em apoplexia. Esgrunhe-se toda e berra e baba-se e por pouco não se mija toda de exaltação): FEDELHO.VOCÊ É UM GAROTO!!!!!!!!!SEU...SEU...MAL-EDUCADÃO. NÃO VAI TIRAR O CARRO?????
Robene (vendo claramente que a dita senhora não tinha tomado a dose de Xanax do dia): Não. Boa tarde.

Mais exemplos de como as mulheres se passam facilmente?

domingo, julho 22, 2007

Volta machismo

Recordo com saudade os tempos em que às mulheres só eram permitidos determinados trabalhos, como cozinhar, passar a ferro, e ser hospedeira de bordo. Hoje em dia, esses seres tomaram de assalto as profissões que devem ser exclusivamente masculinas. E depois tenho de aturar coisas como:

Robene: Dra XPTO, não encontro aqueles produtos de que deu entrada.
Dra XPTO: BLÁ BLÁ BLÁ (BERROS), BLÁ BLÁ (BERROS), BLÁ BLÁ (GUINCHOS)
Robene: Eu não me posso responsabilizar por aquilo a que dá entrada. Não adivinho onde pôs as coisas.
Dra XPTO: CÓCÓRÓCÓ (BERROS), IÓIÓIÓIÓ (GRUNHIDOS), MÚÚÚÚÚÚÚ (BALIDOS)

Eis como as coisas se deveriam ter passado:
Robene: Sua mulher incompetente. Onde é que pôs as merdas dos produtos?
Dra XPTO: Excelentíssimo Robene, eu não sei. Mas na minha condição de ser inferior peço desde já desculpa. Vou já ali para trás autoflagelar-me por este erro imperdoável.
Robene (sacando de um chicote): Anda cá mulher, que já vais aprender como elas doem.

Emancipação feminina? Eu estou à espera é da emancipação masculina.

sexta-feira, julho 20, 2007

Marcas brancas. Ou vermelhas.

De repente dou por mim um expert em marcas brancas. Por exemplo, o Continente tem marcas brancas com nomes fabulosos. Ele é café Tal, rolos de cozinha É, vassouras Sou, etc. Suspeito que se houvessem preservativos seriam os Oh, ou os Glup.
E depois meus amigos, depois há a marca branca do Jumbo. Um conselho: Não experimentem o papel higiénico Preço Fixe. Ainda estou a sangrar do rabo, e já fui cagar há três horas.

Mas quando é que chega o final do mês?

terça-feira, julho 17, 2007

Personalidade múltipla

Dizem que o trabalho molda o carácter. Devo confessar que estou de acordo. Desde que comecei a trabalhar que tenho de lidar com amontoados de velhadas com tuberculose. E claro, tenho que manter um ar «ó-pra-mim-tão-simpático-aposto-que-me-queria-para-genro». E eis então quando dou por mim a ter pequenas alterações de comportamento no dia-a-dia:

Antes: Via uma velha a querer atravessar a passadeira. Parava o carro. Quando a velha começava a andar, punha o carro em ponto morto e acelerava até a velha se borrar toda nas Tena Lady compradas 5 minutos antes. Depois da xoné atravessar a passadeira mais rápido que a Rosa Mota no anúncio do Santander (ou seja, 0,00000005 kilómetros por hora), lançava o meu riso cavernoso e gritava: «O mundo é dos jovens, ó animal empalhado».
Agora: Vejo uma velha a querer atravessar a passadeira. Saio do carro e dou-lhe a mão para a ajudar. Aproveito e conto-lhe as pulsações, enquanto lhe dou conselhos de como manter o colesterol baixo.

Antes: Ia a um restaurante. Pedia uma mesa ao pé de uma família com crianças de tenra idade. Sentava-me e acendia um cigarro. Mandava o fumo todo para cima dos fedelhos, até a família toda ter de sair do restaurante porque o puto mais novo estava a ficar roxo com um ataque de asma.
Agora: Vou a um restaurante. Se a pessoa sentada na mesa ao lado começa a fumar, peço-lhe delicadamente, mantendo sempre o eye contact, para apagar o cigarro, fazendo-lhe ver as vantagens de deixar de fumar.

Antes: Se numa loja qualquer havia um problema informático e eu tinha de ficar à espera, começava a bufar. Se demorasse muito tempo, começava a armar a puta, chamando incompetentes aos empregados e ameaçando com o livro de reclamações. Depois chantageava o empregado com um desconto pelo tempo de espera.
Agora: Se há um problema informático, rio-me e digo coisas como «As máquinas são mesmo assim, não se preocupe». E é muito mais fácil ter descontos.

Antes: Via um arrumador de carros. Tentava manobrar o carro de forma a atropelá-lo sem que o gajo tivesse tempo de guinchar. Quando ele começava a gritar «Chefe, ó chefe a roda do carro tá em cima de mim», sacava do pé de cabra e partia-lhe os dentes (por isso é que os drogados são regra regral desdentados).
Agora: Vejo um arrumador de carros. Vou ao pé dele dizer-lhe que os kits de seringas já chegaram e quando ele quiser pode passar pela farmácia. O gajo arranja-me alto lugar para estacionar, e diz para eu estar descansado que o meu carro nunca há-de ter problemas de estacionamento.

sábado, julho 14, 2007

The drugs don't work

Paredes de Coura 1999
Robene para amiga: Uau, esta gente farta-se de fumar tabaco de enrolar. O que é aquilo que anda toda a gente a queimar na palma das mãos? tabaco de aroma?

Sudoeste 2000
Robene para amigo: Opá, eu não sei se devemos fumar isso. Será que não nos vai fazer mal? Pronto vou só experimentar uma passa.

Sudoeste 2001
Robene: EHEHEHEHE. Luís a tenda caiu-nos em cima!!!HIHIHIHIHI
Luís: AHAHAHAHAHAHAH
Robene:AHAHAHAHAHHAAH. Tenho a boca seca comó caralho.
Luís: (roncos)

(dia a seguir)

Filipa: Robene, aquele gajo que veio connosco, amigo do Tiago, ligou aos pais a dizer que nós erámos uns drogadões do caralho. E agora os pais dele querem falar com os meus!

Sudoeste 2002
Robene: Álcool pessoal. Desta vez só há álcool.

Buracos na areia

Olá Robene. Eu sou o Verão.
Nunca me aproveitaste na verdade. Ainda me lembro nos anos passados. Ias para a praia e ficavas deitado na toalha a dormir. Nem sequer te mexias. Os teus amigos gritavam por ti para ires tomar banho ou jogar à bola e tu só respondias «Deixem-me dormir filhos da puta. A próxima vez que me acordarem é bom que seja para jogar à sueca». E era assim que ficavas com um bronze que fazia as pessoas confundirem-te com um kéfrô. Eu sei que na verdade tu ficavas deitado na toalha para esconderes as poderosas erecções que as gajas de micro bikinis em forma de triângulo te provocavam.
Por isso decidi castigar-te. Este ano não vais ter férias. Não vais sequer ver ponta de sol, a não ser aquele que os toldos da farmácia te permitem. Pior, não vais ver gajas de bikinis brancos a saírem da água. Vais sim vender cremes anti celulite, para que outros possam ter erecções a ver belos rabos enfiados em tangas XS.
E diz lá caro Robene, há sensação mais maravilhosa que uma erecção na praia?

quarta-feira, julho 04, 2007

Memories...

Coisas que fiz em férias, que nunca mais vou fazer:

Coisa nº 1, Budapeste, Julho 2006

Robene: Vão-se f***r. Hoje sou eu que levo o mapa.
(três horas depois, a deambular por ruas escuras, à procura do hotel)
Robene (lágrimas nos olhos): Pessoal, não faço puto de ideia onde estamos!!!
Miguel e Gonçalo (rebolando os olhos, e pontapeando-me): Dá cá a merda do mapa!

Coisa nº 2, Belgrado, Agosto de 2006

Robene, numa farmácia da Sérvia: English? Speak English?
Farmacêutica Sérvia: advsdvsdvsvsdvarhaet?????!!!!!????BAJOUBUJON!
Robene: Gino-Canesten? Têm?


Coisa nº3, Cuba, Fevereiro 2006

Robene: Estou cheio de sede! Não me aguento!
Amigo sensato: Olha que aqui não é seguro beberes água Robene. Ainda apanhas uma disenteria.
Robene: Por favor, eu faço comida em minha casa, e tu já viste o aspecto da minha cozinha. Achas mesmo que é uma aguinha que me vai mexer com os intestinos? (Robene bebe prontamente o copo de água amarela que lhe dão)

..............................(3 horas depois).........................................

Amigo sensato: Onde anda o Robene?
População do hotel: Está a cagar!

Coisa nº 4, Tailândia, Praia de Pattaya, Agosto 2006

Irmã do Robene: Vamos dar uma volta ali pelas lojas?
Robene: Ok.
Criança de 5 anos, puxando pelos calções de Robene: Sir? Sir? I'm cheap. I'll do you good time. Sex? Want sex?
Amigo da irmã de Robene (dia a seguir): Oh não, apanhei chatos! Como é possível???

Coisa nº5, Banquecoque, Agosto 2006

Robene (a pensar): Humm, se levar estas falsificações de coisas de marca, ninguém topa, e vou fazer um sucesso, toda a gente vai adorar as minhas prendas!
Robene (em Portugal): Olha Gala, trouxe-te uma carteira Gucci! Espectáculo!
Gala: Parece-me falsa.
Robene: Tás-te a passar? Até é à prova de fogo e tudo! Pele genuína! Que mal agradecido...

........................3 dias depois.................................

Gala: Ontem cheguei o isqueiro perto da tua carteira Gucci.
Robene:Hum..ehehe..pois, e então?
Gala: Porque é que achas que tive de ir comprar uma carteira nova hoje?

Próxima férias: algures em Dezembro. Mi aguarde Brasiu!

Funny Games

Chega o Verão e uma cerveja fresquinha vem mesmo a calhar. Ou 12. Seguidas de Whisky. Mas basta de falar daquilo que bebo em casa sozinho.
Agora que todos somos adultos, e já bebemos porque realmente gostamos, jogar jogos de bebidas é sempre uma maneira divertida de iniciar ( e acabar) o serão. Até porque desde que começámos a trabalhar não temos grande merda para falar. Fica aqui então o guia de jogos para bêbados profissionais, by Robene:

Jogo nº1: Jogo do Nunca.
Uma pessoa diz uma frase com a palavra nunca, por exemplo, 'eu nunca tive fantasias sexuais com o Robene'. Quem já teve fantasias, tem de beber (ou seja, toda a gente, mesmo quem nunca me viu).
Com este jogo descobrem-se coisas engraçadas, por exemplo, quase todas as minhas amigas já experimentaram sexo anal. E alguns amigos também.
Só para exemplificar, um caso real:
Amiga X: Nunca ninguém se veio na minha boca.
Amiga Y: No cabelo também conta?
Amiga X: Sim.
Amiga Y: (enfarda o fino de penálti).
Como vêem, as hipóteses são infindáveis.

Jogo nº2: Buzz.
Este já é velhinho. Toda a gente se senta em roda e vai dizendo os números. No entanto, se o número for um sete ou múltiplo de sete, tem de dizer buzz. Se se enganar, bebe.
A nuance deste jogo foi-me ensinada por um gay Britânico de férias na Sérvia (verdade!). Cada vez que alguém se engana, escolhe uma palavra que não pode ser dita o resto do jogo. Por exemplo, não se pode dizer 'merda' ou 'caralho'. Neste caso eu passaria o resto do jogo de boca calada.

Jogo nº3: Jogo dos animais
Na verdade eu não me lembro deste jogo. Eu sei que já o joguei, mas estava tão bêbado que não me recordo. Parece que eu era uma lesma e havia algures no jogo um suricate. Tenho uma leve memória de que a Pat estava a jogar, portanto Patzinha, faz lá o favor de explicar o jogo ao pessoal.

Agora abram asas meus filhos e vão até ao bar mais perto divertirem-se um bocado!

sexta-feira, junho 29, 2007

A primeira vez

Recebi hoje o meu primeiro cheque a sério. Depois de trabalhar que nem um preto (sem conotação racista, atenção!), e de passar noites em branco a aturar cabras mal encaradas, descubro que o Estado ainda me tira 14,5% do ordenado para Imposto sobre o rendimento mais 11% para a segurança social.
Será que posso abdicar da segurança social? Trabalhando a este ritmo duvido que chegue aos 65 anos.

quinta-feira, junho 28, 2007

As sete maravilhas da net!

http://eupatricia.blogspot.com/ - Este blog, apresentado ao Robene pelo seu amigo Gonçalo (obrigado Gonçalo, depois deste blog a minha vida mudou), é uma lição para todas as gajas deste mundo. Libertem-se meninas, e sejam mais como a Patrícia!

http://www.youtube.com/watch?v=PsOv54jLxDE - Concordo contigo caro amigo de penteado esquisito. As criancinhas devem realmente beber cerveja. E Super bock (uau).

http://www.anamalhoaoficialsite.com/ - Pois é, parece que a Ana Malhoa agora é a Rainha do Reggaeton português. Depois de ser a rainha das masturbações compulsivas no seu site antigo, este também vale a pena. Cortem caminho e vão directamente para a secção de fotos. Mas apreciem a musiquinha inicial. Esta miúda tem talento. Está é no meio das pernas.

http://www.youtube.com/watch?v=nQrFScxG7eo&mode=related&search= - Não Zé. As cuecas são minhas. Amo-te!

http://www.youtube.com/watch?v=E_qAAAQwAME&mode=related&search=- Sim, eu liguei para este programa. Não, eu não ganhei nada.

http://www.portalpimba.com/ - Tem vídeos da Rosinha, essa popstar que canta 'Meu amor, eu quero uma mala'. Chega?
http://www.youtube.com/watch?v=8I50Fv_f4rk - Porque o povo português é genuíno.

Eu quero dar-vos dinheiiiiiiiiiiro Portugueses!!!!

Terça-feira, 3 da manhã. Ligo a televisão e na TVI está a dar um concurso apresentado por uma ex concorrente do Brig Brother (vê-se o calibre da apresentadora portanto: grandes mamas, boca ao lado, fala de perfil e engasga-se constantemente). O objectivo é simples: as pessoas ligam e têm de dar uns palpites para ver se acertam nas opções. Claro está que o Robene e o seu inseparável colega de casa Milton, põem-se desenfreadamente a ligar, nem ligando ao facto de cada chamada custar 0,60 fora o IVA. O cheiro de dinheirinho fácil deixa-nos extasiados (e ligeiramente excitados). Ainda para mais a esta hora os velhos que papam estes concursos todos estão a babar-se em almofadas com mofo. Para espanto nosso ao 5º telefonema entramos em directo.
'Como se chama?' -pergunta a mamalhuda num tom de voz irritante.
'Milton' -grita o Milton.
'Não o estou a ouvir' -zurra a apresentadora.
'MILTON' -grita o Milton.
'Peço desculpa, não o estou a ouvir' -muge a tetas de silicone.
Nesta altura estou eu e o Milton a dar murros no telemóvel. Na televisão ouvem-se as murraças e um ou outro 'Caralho, esta merda não está a funcionar'. De qualquer forma, cada vez que tentamos gritar os nossos nomes a cabra não consegue ouvir nada.
'Peço desculpa mas vamos ter de desligar.É uma pena' - bale a gaja, com um sorriso amarelo.
Quando desligamos, as luzes do estúdio vão abaixo. A (so-called) apresentadora dá um gole na água e tenta remediar a situação com conversa de chacha e vislumbres rápidos das tetas.

Conclusão: Gastámos uma pipa de dinheiro e só tivémos direito a softcore.

segunda-feira, junho 25, 2007

Mini

Porque é que sempre que vejo o carro dos meus sonhos (um Mini, já agora) ele tem sempre um par de jarretas velhas lá dentro, com ar de quem gastou a reforma toda no carro?
Velhos de todo o mundo, vocês devem andar em Suzukis Swift ou Ford Fiestas. No máximo naquelas carripanas, vulgos mata-velhos ou papa reformas.
Parem de manchar o estilo do Mini. Carros Fashion devem-se manter para o seu público alvo, ou seja EU. Nada de dentaduras debaixo do assento do condutor ou algálias espalhadas pelo chão.

sexta-feira, junho 15, 2007

Tomates no sítio!



Pois é, parece que ganhei um prémio qualquer ou que fui nomeado para alguma coisa. Eu, que sempre sonhei um dia percorrer o tapete vermelho dos Óscares ou na falta destes, dos Globos de ouro da SIC de braço dada com a Floribela e milhares de criancinhas, fui nomeado para o prémio Blog com tomates. A nomeação foi-me dada pela sempre bem disposta Mia, do blog pulpfashion. Eu sei que ela me nomeou na esperança de conseguir espreitar o meu pirilau de porporções gigantescas, mas querida Mia, não é com nomeações para prémios que vais lá. Já te disse: com dinheirinho vivo já o tinhas visto há muito tempo.

Parece que então vou ter de nomear 5 blogs para o prémio blog com tomates.

And the nominees are

http://www.pulpfashion.blogspot.com/- eu sou sempre um querido a retribuir

http://salsichanaotedesgraces.blogspot.com/ -porque me farto de rir a lê-lo

http://acagada.blogspot.com/- há tempo que não é actualizado, mas durante meses (anos!) foi o meu blog de referência

http://www.macaquinhasnosotao.blogspot.com/- porque suspeito que esta gente tamém é farmacêutica

http://carapaudecorrida.blogspot.com/ - porque sim

quinta-feira, junho 14, 2007

Dentinhos branquinhos

Hoje na farmácia:

Pessoa: Olá, boa tarde. Eu queria Neoblanc para branquear os dentes.
Eu (pensando que a pessoa estava a gozar, a mulher até tinha um ar normal): (risada estridente).
Pessoa: Está muito bem disposto! Mas não tem o Neoblanc?

quarta-feira, junho 13, 2007

Robene à prova de água

Lembro-me de há uns anos atrás ter metido na cabeça que tinha de comprar um butterfly abs. Para quem não se lembra, o butterfly abs consistia em eléctrodos que produziam choques, o que provocava a contracção dos abdominais, poupando horas penosas de esforço físico e suor desnecessário para obter uma barriga de ferro.
Choques? Nos abdominais? Só pode funcionar. - pensei eu. Já me imaginava sentadinho no sofá, a comer um belo hamburguer com batata frita, enquanto levava choques (indolores, segundo dizia o anúncio) que me fariam ter abdominais mais definidos do que o elenco dos morangos com açúcar todo junto.
No entanto quando aquela merda chegou, devo dizer que os choques me faziam quase espumar da boca, e que as pilhas davam para aí para uns dois choques. Abdominais de sonho? Pois...

Eis senão quando descubro na net a oitava maravilha do mundo: um leitor de mp3 à prova de água. Para quem como eu passa horas por semana na piscina, já me imaginava a nadar freneticamente ao som do último êxito dos Buraka Som Sistema. Hoje chegou finalmente o meu leitor anfíbio. Lá vou eu para a piscina, todo lampeiro. Aspecto mais dorky não pode existir: touca, óculito de natação com um cilindro de ferro agarrado (o mp3) e um emaranhado de fios a sair-me da touca. As pessoas olham para mim e abrem a boca. A maioria deve pensar que eu estou drogado, ou que no máximo planeio ser uma enguia eléctrica. Algumas fogem a correr da água, com medo de serem electrocutadas. Na verdade este mp3 também não é o que prometem: os auscultadores estão-me sempre a caírem dos ouvidos e na maioria das vezes o som só sai de um dos headphones. Para além disso os auscultadores são tão longos que parece que estou a ser enrabado pelos ouvidos. Àparte disso, o mp3 resistiu heróicamente, e saí da piscina com toda a gente a olhar-me de lado, cheia de inveja.
E finalmente posso nadar enquanto ouço os Buraka Som Sistema a gritarem YAH!YAH!YAH!

terça-feira, junho 05, 2007

De serviço

Ontem fiz o meu primeiro serviço na farmácia. Para quem não sabe, o serviço implica ficar acordado a noite toda (das 10 da noite às 9 da manhã), atendendo pessoas por uma portinhola e falando por um walkie talkie, tentando explicar a doentes ainda mais ensonados do que eu, como é que se tomam os antibióticos e coisas que tais, e acalmando gajas em pânico a comprar testes de gravidez.

E como é óbvio, o que é se vende durante a noite? Pílulas do dia seguinte! Para quem não sabe, existe um protocolo rigoroso na dispensa deste produto, e temos sempre de fazer alguma perguntas:

Eu (falando ao meu walkie talkie modernaço): Boa noite.
Rapariga (ar assustado, andar ligeiramente arqueado): Sim, boa noite. Quero uma pílula do dia seguinte.
Eu(tentando manter um ar sério, mas pensando 'olha a porcalhona'): Há quanto tempo teve a relação sexual não protegida?
Rapariga : Humm, há mais ou menos 5 minutos.
Eu (pensando para mim 'Mas a gaja teve sexo à porta da farmácia ou quê?): Ok, eu vou...
Rapariga: Sabe é que o preservativo ficou...ficou...
Eu: Ficou? Rebentou?
Rapariga: Não, ficou...bem, ficou dentro de mim (sorriso amarelo). Mas já o consegui tirar!

Por momento pensei que ela ia sacar do preservativo cheio de esperma e mostrar-mo, só para eu ter a certeza...

Mas o prémio para o pedido mais fodasse-são-5-da-manhã-e-tu-vens-me-chatear-com-essa-merda:
Rapaz: Quero uma garrafa de álcool etílico.
Eu: É para desinfectar feridas?
Rapaz (ar embaraçado): Bem, não...(risinho), mas há diferença?
Eu: Sim, se for para desinfectar feridas é aconselhável ser de uma graduação, se for para outros usos é de outra.
Rapaz: Bem...é para...(risos)..Assar chouriças.

Ainda pensei em pedir-lhe para me trazer uma chouricita à farmácia, mas a imagem de um preservativo langonhento não me saía da cabeça...

segunda-feira, junho 04, 2007

É assim que se fica rico

Depois da minha primeira semana de trabalho, chego a duas conclusões:
1-Trabalhar não é para mim
2- Nunca hei-de ganhar o euromilhões.

Está portanto na altura de pedir o resgate chorudo pela pequena Madeleine, até porque a miúda não pára de gritar na cave e os vizinhos já começam a desconfiar.

sexta-feira, junho 01, 2007

Afinal...

Ouvido de relance, entre duas gajas:
«Eu não faço questão que a minha metade seja uma cara. Basta que seja uma pila de 20 cm.»

quarta-feira, maio 30, 2007

Anti-tusa

As coisas mais anti-tusa que podem sair da boca de uma mulher:

1-Amor, decidi adoptar o look de porn star dos anos 70. Diz lá que esta barba a descer-me pelas pernas não é sexy?
2-Ai gosto tanto de Mafalda Veiga
3-Bacalhau com quê? Querido, eu nem sei fritar um ovo
4-Limpei mal o rabo. Acho que deixei um selo nas cuecas.
5-Eu não me importo que laves os dentes enquanto estou a cagar
6-Ai, sexo anal deve doer tanto
7-Quero ter muitos filhos. De preferência só meninas.
8-Eu sei que tu não te importas com a minha celulite. Eu também nunca te disse nada da tua barriga de cerveja.
9-Estou com o período/dói-me a cabeça/estou exausta/agora não, está a dar a novela/Estou com TPM/estou com sono
10- Ai que sabor nojento. Nunca mais engulo.
11-Querido, já não tenho gonorreia
12-E que tal se fossemos viver juntos?

sexta-feira, maio 25, 2007

Quem vê caras...

Viver durante 6 anos a partilhar casa sempre foi, para mim, tarefa fácil. Principalmente porque sempre tive a sorte de partilhar casa com pessoas 5 estrelas. Até que no ano passado o Gala, pedra basilar cá do T3 dos Olivais, acabou o curso e eu e o Milton tivemos de procurar nova pessoa para partilhar casa.
Fizemos uns anúncios catitas e andámos a espalhá-los pelas Faculdades e cafés.
Apareceu de tudo, desde pessoas já a trabalhar que achámos muito cotas (a ironia das coisas, agora sou eu o cota), a caloiros com os pais (sendo que os pais tentaram investigar toda a minha vida com perguntas que tentaram que fossem desinteressadas), a um gajo que plantava a sua própria marijuana e que mal entrou no quarto para alugar disse «Que fixe, este quarto tem uma luz altamente para as minhas plantinhas».
Tanto escolhemos que finalmente nos decidimos pelo (nome começado por B e acabado em runo).
O B(runo) parecia um gajo altamente. Mas só no dia em que veio ver o apartamento.
Nunca saía do seu quarto, nunca limpou a casa de banho, ouvia Melanie C em altos berros (mas a versão remix entenda-se), só falava de tunning, motas e kick-boxing e foi-se embora passados 3 meses sem pagar as contas. Uma vez comprámos um frango de churrasco e ele comeu as pernas e deixou-me o peito. «Ah, eu pensava que toda a gente preferia o peito», disse ele. Falei com ele para aí 4 vezes, durante o tempo em que esteve cá por casa.
Depois veio cá para casa o Caio. Um brasileiro altamente com quem nos demos lindamente. Agora o Caio vai-se embora, volta para o Brasil.

Desta vez não vamos escolher, vai ser mesmo o primeiro que aparecer.

quarta-feira, maio 23, 2007

Aluga-se

Aluga-se um quarto em T3 nos Olivais, Coimbra, a 2 minutos da faculdade de Economia.

Casa limpíssima (apenas no dia em que alguém a vier ver para alugar), super bom ambiente (excepto aos dias da semana), com espírito de entreajuda e companheirismo (entenda-se roubar cigarros uns aos outros, partilhar música pirateada da internet, e peidos ruidosos quando alguém traz uma gaja para casa). Já a viver no apartamento estão dois exemplares de rapazes do melhor que a espécie humana produziu nos últimos 30 anos.

Requisitos essenciais (se és rapaz)
-Ter irmãs boazudas
-Não se importar de partilhar toda a comida que traz
-Gostar de lavar a loiça, cozinhar (para nós), aspirar, e limpar (os nossos quartos)
-Não dar grande importância à higiene íntima e a cheiros nauseabundos
-Não ser daqueles cocós que não se peida em público
-Ter uma boa colecção de DVDs e CDs
-Não fazer barulho das 6 da manhã às 3 da tarde
-Nada de cães, rastas,vegetarianos, abstémios, pessoas que fazem reciclagem e que não gostem de um bom fungo aqui e ali e activistas anti-tabaco.

Requisitos essenciais (se és rapariga)
-Ter um bom par de mamas.

Há candidatos?

Consultório Íntimo

Lido na revista Maria, secção do consultório íntimo para ele:

«Nasci sem o testículo direito. Queria saber se o testículo que me resta é o que dá origem aos meninos ou às meninas, visto que só gostava de ter filhos rapazes»

Eu bem queria arranjar maneira de gozar com isto, mas não sei porquê, acho que já tudo foi dito.

(Para aqueles interessados em saber como é que ando a ler a Maria, deixem-me que vos diga que ando com tempo livre a mais)

terça-feira, maio 22, 2007

A vida normal

E a queima já passou. E começo a ficar ligeiramente preocupado com algumas observações do que se passou. As ressacas já duram mais de um dia (como tão bem refere a Mia), acordo tão aparvalhado que até me tremem as mãos, começo a achar deprimente a juventude toda bebâda a fazer figuras tristes (eu incluído), e não sei porquê, às vezes apetece-me mais ficar em casa do que ir para a rua beber litros de cerveja. Por outro lado vou começar a trabalhar daqui a uma semana, e acho que ainda nem me apercebi muito bem do que isso significa.
Acabou-se aquele período mágico que separa a adolescência da idade adulta. Aquele microambiente que te permite fazer tudo e tolerar tudo. Olá vida normal!

(acabei de fazer o primeiro post sério deste blog. Alguma coisa está seriamente a mudar...)

segunda-feira, maio 14, 2007

Money makes the world go 'round!

Hoje fui à dermatologista fazer o follow up do tratamento para o acne.
Olhou para mim durante dois minutos, passou-me a receita de Roaccutan e eu arrotei com 60 euros.
Apercebi-me hoje que errei na profissão.

sábado, maio 12, 2007

Ó mãe...

Há 5 anos atrás, Queima 2002, dia do cortejo:

Eu: Mãe, olha perdi o telemóvel. Empurraram-me e ele deve ter caído sem eu reparar.

Mãe: O quê? Já estavas era todo bebâdo.Não tens responsabilidade nenhuma. Esta juventude bebe sem noção nenhuma das consequências. Eu avisei-te, mas és sempre a mesma coisa.

Eu: Ó mãe, eu nem sequer bebi nada. Foi...foi...um bêbado qualquer que me empurrou, eu não tive culpa nenhuma. Estas coisas acontecem. Eu é que tenho azar. Tinha de me aconetecer logo a mim! (Olhos de bambi perdido na floresta)


Hoje, depois dos azares da queima deste ano:

Eu: Olha mãe, parti os óculos e o queixo. Eu não tive culpa fui empurr...

Mãe: Pois já sei, um bêbado qualquer empurrou-te. Tu nem tinhas bebido nem nada, não é?


A minha mãe conhece-me mesmo bem.

Alguém que me afaste a nuvem negra

Esta queima correu-me super bem. Na terça rasguei o queixo. Na quarta perdi o telemóvel. Ontem parti os óculos.

Acho que se a queima ainda durasse mais uns dias ia apanhar herpes genital.

quinta-feira, maio 10, 2007

aceitam-se conselhos

Se depois de ter perdido o meu telemóvel em meio metro de esferovite do chá dançante tiver encontrado um outro telemóvel, melhor ainda que o meu o que é que eu penso?

Justiça universal ou teste de honestidade?

quarta-feira, maio 09, 2007

De queixo caído (ode à amizade)

Ontem foi o meu último cortejo da Queima. Queria sair de lá com lembranças para a vida toda. E a verdade é que saí. Ao perseguir o Luís com uma garrafa de cerveja, caí no chão e rasguei o queixo todo (e a mão direita). Aqui o Robene levanta-se a esguichar sangue que nem um porco, mas obviamente sem sentir dor alguma (nem sequer o vidro de garrafa de cerveja que tinha entalado no queixo me causou espécie.)
E é aqui que entram essas pessoas que realmente importam para nós! O Luís e a Sílvia começaram logo a gritar (eu nesta altura ainda não tinha percebido que a coisa era tão séria, apesar da camisa que o Milton me tinha emprestado estar cheia de sangue) e encaminharam-me logo para a ambulância mais perto. E é assim que, pela primeira vez, o Robene chega às urgências dos HUC numa ambulância (só estilo) para levar uns valentes pontos no queixo. Valeu-me a Sandrinha, que me meteu logo alta cunha e me fez passar à frente de toda a gente (normalmente estas coisas de cunhas enfurecem-me, mas o efeito do álcool já estava a passar e eu começava a sentir que havia um buraco no meu queixo do tamanho duma bola de futebol). Obrigado á horde toda que me seguiu religiosamente até ao hospital (parece que a Sílvia até ia tendo uma coisinha má) e que estóicamente esperou por mim. Lembranças destas não surgem todos os dias.

PS1: Obrigado também aos gajos de engenharia que me ajudaram a levantar do chão e prontamente me puseram ao corrente da situação dizendo 'Fodeste-te todo. Essa merda só com pontos.'

PS2: Mia, espero que a tua mãe não tenha reparado aqui no Robene, esfacelado, mas sempre de cerveja na mão (sim, porque depois da aventura ainda voltei).

PS3: Quando caralho deixam de ter garrafas de vidro no cortejo?

PS4: Já vos disse que fico super sexy de penso ensaguentado no queixo?

PS5: Hoje é Marco Paulo no chá dançante. Hoorayyyyyyyyy!

terça-feira, maio 08, 2007

Lições de vida

Coisas que não se aprendem em mais lado nenhum a não ser na semana da Queima:

#1: Se quando te fores deitar tudo estiver a andar à roda, tira um pézinho da cama e coloca-o no chão. (comprovado por dois amigos extremamente alcoolizados).

#2:Quando fores buscar cerveja às barracas, pede logo quatro ou cinco duma vez. Enquanto te vão servindo a cerveja, vai passando os finos para um colega estrategicamente colocado atrás de ti. Quando já tiveres as cervejas todas vira-te para o gajo que está a servir e diz-lhe que falta uma. (comprovado por mim, ontem)

#3: Todo o grupo de gajas que sai em debandada para a Queima está altamente hierarquizado: tens a líder alfa : grandes mamas, alto decote, cú de sonho. A partir daí é sempre a descer, até chegares à chamada abelha obreira: tem uma mama maior que a outra (embora sejam as duas pequenas), é coxa e provavelmente deve ter alguma deficiência na fala.
O truque é beber o suficiente até a abelha obreira te parecer a líder alfa. (comprovado por todo o meu grupo de amigos)

#4: Sim, parece que os Da Weasel têm contrato vitalício com todas as Queimas do país até 2058, altura em que as suas músicas serão um miscelâneo de huuhuhuhuhdahdahdahdayeayeahyeah. Espera lá...as músicas deles já são assim.

#5: Sodomizar gajas altamente alcoolizadas não é abuso. Elas só bebem com esse intuito.

Remédio Santo

Isto de se trabalhar na semana da Queima até tem as suas vantagens. Os doentes saem todos da farmácia com um sorriso nos queixos, depois de eu lhes bafejar para cima.

quinta-feira, maio 03, 2007

Obrigado

No MSN, depois da Patrícia tentar descrever a sua casa em Espanha:

'parece mesmo a tua casa no bom sentido: porquinha mas sempre acolhedora pa quem visitar.'

Pois...acho que é um elogio...
Obrigado Pat...

segunda-feira, abril 30, 2007

Quem disse que os shoppings são só para compras?

Não sei porquê, mas quando eu ia passear pelos jardins do fórum aveiro as coisas não eram assim tão animadas...

Amnesiac

Como prometido lá se dirigiu a malta para a Queima de Aveiro. Acordei no dia seguinte sem grande recordação da noite anterior. Não me parece que tivesse sido grande coisa.
Informam-me então que andei a dançar samba, aos saltos por todo o lado, com imensas conversas filosofo-copofónicas e com desaparecimentos súbitos em que ninguém sabe por onde andei.
Não é que me lembre, mas todas as pessoas com quem estive asseguram-me que me diverti imenso.

sexta-feira, abril 27, 2007

Ponho, não ponho?

Tenho andando a pensar...Será que vale a pena referir no meu currículo a existência deste blog? Se calhar até tinha uns pontinhos extra por escrita criativa.

A arma secreta

Conseguir fazer a minha horinha diária de natação é, desde inícios de Abril, praticamente impossível. Chega o cheirinho a calor e hordes de pessoas pensam que, dando duas braçaditas, se vão ver livres dos pneus dignos do boneco da Michellin. Assim a piscina enche-se de velhos, gordos e ocasionalmente umas gajas rastafaris, daquelas que não fazem a sovaqueira como modo de fazer ver aos outros quão alternativas são.
O problema é que esta gente toda decide ir para a minha pista e estrategicamente colocar-se à minha frente ocupando todo o espaço, impedindo-me a mim de nadar o que quer que seja.

Ora, esta coisa de já se nadar há uns anos tem os seus benefícios e inconvenientes. Por um lado tenho um corpo de deus grego, daqueles que fazem as mulheres gritarem histericamente 'Quero ter os teus filhos'. Por outro lado tenho também uma micose gigante nos pés, mas uma coisa tão nojenta que ao lado dela, a cara do Freddy Krueger dava para anúncios de cremes hidratantes.
O meu esquema agora é muito simples: quando um daqueles trambolhos se prepara para começar a nadar na minha pista, eu ostensivamente levanto o pé, de modo a que a minha micose-gigante-nauseante fique bem no campo de visão dos ditos cujos. A seguir começo a tentar espremer as bolhas da micose, de preferência de modo a que algum daquele líquido viscoso amarelo lhes salte para cima.

A coisa resulta. Há já 3 semanas que tenho uma pista só para mim.

quarta-feira, abril 25, 2007

A cagada

A ocasião é preparada com pompa e circunstância. Faço um café, tiro um cigarro, levo o laptop, um livro e invariavelmente o leitor de mp3. Pensarão que me preparo para ir de férias, mas não. Vou é cagar. Para mim cagar é um ritual que demora sempre pelo menos meia hora. Sou incapaz de ser como aquelas pessoas que cagam em 2 minutos. Para mim, cagar é um momento de relaxe, sem ninguém a chatear-me ou o gritar por mim. Infelizmente para mim, cagar é também imperativo. Quando chega a vontade súbita tenho de cagar...Esteja onde estiver. Infelizmente as vontades súbitas dão invariavelmente em sítios em que:
a)Não há casa de banho;
b)A casa de banho parece ter sido usado por estudantes que foram de viagem de finalistas a Lloret (vomitada, borrada nas paredes, com preservativos a entupirem a sanita e com gajas a gritarem que foram violadas só para chamarem a atenção).

Decidi portanto, para deleite de todos, partilhar as minhas melhores histórias de borras súbitas, tema que sei interessa sobremaneira a todos os leitores do meu blog:

Cagada #1, Sudoeste 2003: Acordo de rompante. Sinto o Sr. Castanho a bater desesperadamente á porta. Grito para o Luís 'VOU CAGAR' e começo a correr qual Obikwelu atrás da banana. Vôo por cima das tendas, derrubando rastafaris malcheirosos e camping gaz com trinta anos. E é então que me lembro 'Merda, esqueci-me do papel higiénico'. Volto para trás, desta vez com uma mão tentando apertar as nádegas. Quem me vê deve pensar que fui enrabado: correndo, gritando para me saírem da frente e agarrando o rabo com as mãos. Foi uma cagada monumenal, devo acrescentar.

Cagada #2, Sudoeste 2004: Antes de iniciarmos a viagem em direcção ao Alentejo, eu e o Gala decidimos ir comprar qualquer coisa ao hiper mais próximo. Ele decide-se por umas frutas e um leitinho. Eu decido-me por duas caixas de muffins e três coca-colas. Enfardo os muffins à velocidade da luz. No dia a seguir vamos buscar uns amigos à estação de comboios. Mal chego à estação dá-me a vontade súbita. Grito para o Gala 'VOU CAGAR' e corro para a casa de banho. A casa de banho é uma turca, daquelas em que só existe um buraco no chão. 'Fabuloso' penso eu. Baixo os calções e os boxers e tento cagar. Pareço um contorcionista do circo Chen, de cócoras e fazendo força suficiente para conseguir largar o cagalhão, mas não para me cagar ruidosamente (saí de lá com uns abdominais do caralho). Decido que assim não resulta e tiro mesmo as calças e os boxers, ficando quase em pelota na casa de banho da estação da Funcheira. Ponho-me mais uma vez de cócoras, fazendo pontaria ao buraco. Faço força mas não sai nada. Eu sei que ele está lá! Faço ainda mais força. Por momentos penso que me vai sair do cú o diploma do Sócrates. Mas o que sai é um enorme e roliço cagalhão que por sinal não acerta no buraco. Acho que saí de lá com menos dois quilos.

Cagada #3, Malásia 2005: Uma pessoa vai de férias e pelo menos para mim é essencial saber uma coisa: ´Há casa de banho? Onde está? É limpa? Na Malásia deixem-me que vos diga, as casas de banho são do tipo turcas (embora no hotel fossem do tipo inglês. Quem diria que haviam tantos tipos de WC's?). Estou a passear calmamente pelo centro comercial das Petronas quando me dá a vontade súbita. Grito para a minha irmã 'VOU CAGAR' e corro para a casa de banho. Estas turcas são no entanto diferentes das que conheço. Têm um chuveiro e três conchas. Leram bem, têm três conchas. Até hoje acordo à noite inquietado a pensar para que servirão as três conchas. Decoração? Limpeza extra?
De qualquer modo não me chego nem perto das ditas conchas. Começo a operação cagada. Estas turcas são mais cómodas, e muito mais limpas. Tenho até uma espécie de momento Zen, cagando alegremente ao ritmo da música de centro comercial que passa na casa de banho. Apercebo-me então que não tenho papel. Ora vejamos: se estivesse em Portugal, gritava por socorro para as pessoas que eventualmente estivessem cá fora. Mas eu estou na Malásia. Felizmente encontro um mini-lenço-meio-ranhoso no meu bolso de trás que habilmente serve para o que quero. Saio ainda a pensar na merda das conchas.

No próximo post questões importantes relativamente às cagadas: Como fugir com o cu aos salpicos e maneiras de disfarçar o cheiro de diarreias explosivas.

(PS: Será que foi desta que bati no fundo?)

segunda-feira, abril 23, 2007

Queima Season is now open

Sexta à noite em Coimbra. Depois de uma janta no restaurante que já começa a ser do costume, lá nos vimos a braços com a decisão habitual: e agora, ir para onde? Depois de apreciarmos as imensas ofertas que Coimbra tem para saídas à noite (como a kizombada no Vynil, os martelos na Via, e o clube-dos-Palops na associação) decidimos por ir para a Figueira, inaugurar a época oficial de queimas!
Sim, é verdade, lá rumamos até à Figueira para o primeiro dia de Queima da semana académica da dita cidade.
Chegámos e dirigimo-nos à bilheteira. Um gajo com mais de dois metros (sem exagero) estava à nossa frente. O freak-show tinha começado.
Na bilheteira o rapaz que nos vendeu o bilhete ainda disse ‘Ah, são de Coimbra…Estão perdidos?’. Creio que o rapaz queria dizer entrelinhas ‘Fujam, Fujam, salvem-se enquanto podem!’.
Entrámos e apreciámos as pessoas. Todas as 20 pessoas (incluindo pessoal da organização).
A actuar estavam os Heróis do Bar. Não, não são os heróis do mar. São mesmo os heróis do Bar, uma banda de tributo. Agora perguntam, uma banda de tributo a quem? O cérebro comum pensará que é de tributo aos heróis do mar, mas não. É mesmo aos UHF. Tocaram hits de todos nós conhecidos como ‘Na tua cama’ ou ‘O Jorge Morreu’. A certa altura, o vocalista, vendo que não tinha ninguém a vê-lo actuar grita ‘Vocês parecem um bando de morcegos velhos’. Nós enfardámos mais umas cervejas.
Para a semana vamos à de Aveiro.

Pulpfashion is back!

Este fim de semana apanhei a Mia por Aveiro. Amarrei-a a uma cadeira, espetei-lhe ferros quentes no rabo, obriguei-a a ver o DVD inteiro do Toni Carreira ao vivo no Coliseu, e fi-la ler passagens do Equador do Miguel Sousa Tavares (sempre achei que a música do Tóni complementa a escrita do Miguel).

Resultado? O Pulpfashion está de volta!

segunda-feira, abril 09, 2007

UC e as 7 maravilhas de Portugal

Eu por mim já deu o meu voto para a Universidade de Coimbra. Sempre posso dizer que já mijei em cima de uma das sete maravilhas de Portugal. Sugiro também que a Universidade de Coimbra seja proposta para a eleição das 7 maravilhas do mundo mais vomitadas e as 7 maravilhas do mundo com mais bêbados histéricos.

sexta-feira, abril 06, 2007

Coming out

Durante muito tempo este foi um segredo que guardei comigo. Mas agora não aguento mais. Não posso continuar a fingir ser o que não sou. Os meus amigos já desconfiavam, eu sei, e eu não posso mais fazer-me passar por algo que não sou, a fingir que gosto quando não gosto. Por isso aqui vai: Eu odeio o David Lynch.

Enquanto toda a gente diz que ver um filme do Lynch é uma experiência brutal de auto conhecimento e compreensão eu acho que os filmes do Lynch são uma experiência de merda. Durante muito tempo eu senti-me um ser inferior, mas agora já chega, tenho de me assumir. Eu não percebi um caralho do 'Mulholand Drive'. Nem do 'Estrada perdida'. Eu adormeci a meio do 'Uma história simples'. Eu acho o 'Elephant Man' um horror. Eu abomino o 'Veludo Azul'.
Sei que a partir de agora serei provavelmente excomungado da sociedade intelectual de cinéfilos, mas estava na altura do meu coming out.

Mentes retorcidas de todo o mundo regozijem-se, vêm aí mais um filme do David Lynch, 'INLAND EMPIRE' (parece que tem de se escrever com maiúsculas, é mais fixe assim).

Segundo Lynch:
«Um filme deve bastar-se a si próprio. É absurdo se um realizador precisa de explicar por palavras o que um filme seu significa (?). As pessoas, às vezes, dizem que têm problemas em perceber um filme, mas eu acho que percebem muito mais do que julgam perceber. Porque todos temos o poder da intuição – temos, realmente, o dom de intuir coisas.»

Tens razão Lynch. Eu tenho intuição. E a minha diz-me que nem tu deves perceber um caralho dos filmes que fazes.

Clube de fãs!


A pedido de milhares de fãs de música da boa, mas mesmo daquela música que se acorda de manhã e se passa o dia todo a cantar, aqui fica a bela Rosinha. Não lhe dou mais de uns dias para conquistar a cena musical e encher o ouvido dos portugueses com estas melodias catchy e letras de levantar o pau aos moribundos. A própria capa do álbum da cantora é uma obra de arte. Reparem na racha dos dentes da frente da menina. Digam lá se ela não é a próxima Madonna?
Este é o hit que eu espero que ponha as meninas todas a cantar. Agora só falta vê-la na queima, para as caloiras cantarem o refrão!

(Agradeçam ao Mig, o presidente do clube de fãs da Rosinha)






terça-feira, abril 03, 2007

Push pop

Aposto que o gajo que disse que a Disney é satânica não iria sobreviver a este anúncio televisivo...

segunda-feira, abril 02, 2007

Pide? Qué isso?

Parece que o Salazar ganhou a votação do maior português de sempre. Não me admiro. Aposto que os apoiantes do não no referendo ao aborto, foram-se todos vingar a votar no Salazar.

(Prometo que não me pronuncio mais sobre o referendo ao aborto. Prometo, prometo, prometo...)

segunda-feira, março 26, 2007

Satanismo e Disney

Eu sempre suspeitei daquela pequena sereia...Umas mamas daquelas não eram inocentes!

Terapia alternativa

Sábado à noite, aniversário do Milton. Lá se dirige a malta toda para o sítio mais ranhoso de Coimbra (Salão Brazil), para jantarmos. Depois de uma bela degustação regada a vinho tinto (que até era bom) e conversa, começa-se a ouvir música. Primeiro era apenas um saxofone desafinado e um acordeonista que parecia tocar como tocaria o Quim Barreiros se ficasse sem braços. Depois começa-se a ouvir música celta, e às tantas uma multidão junta-se e ouve-se uma gaja a dizer 'Vamos todos dar os nossos mindinhos'. É verdade, passados dois minutos, uma fila de gente adulta, com os mindinhos entrelaçados percorria as mesas do restaurante incitando toda a gente a juntar-se ao que julgo ser a irmandade do mindinho. Querem sentir-se num filme do David Lynch? Já sabem, sábados à noite é só irem ao Salão Brazil.

quinta-feira, março 22, 2007

Como ser uma jovem esposa!

O texto é longo, eu sei, mas também não é propriamente Saramago (passagens mais importantes a bold, para os preguiçosos!):

Instruções e conselhos para a jovem noiva

Sobre como se conduzir e proceder nas relações íntimas e pessoais inerentes ao casamento, para uma maior santidade espiritual que deve acompanhar este abençoado sacramento, e para a glória de Deus.

Para a jovem e sensível moça que alcançou o privilégio de crescer e chegar ao casamento, devemos dizer que este dia é, ironicamente o mais feliz e também o mais aterrorizante de sua vida. Do lado positivo, há o casamento propriamente dito, no qual a noiva é o centro das atenções de uma cerimônia bonita e comovente, cerimônia esta que simboliza o seu triunfo em lhe assegurar um homem que lhe proverá todas as suas necessidades pelo resto de sua vida natural. Do lado negativo, está a noite de núpcias, durante a qual a noiva deve “pagar para ver”, vulgarmente falando, ao se defrontar, pela primeira vez, com a terrível experiência do sexo.

Nesse ponto, cara leitora, deixe-me revelar uma verdade chocante. Algumas jovens, na realidade, aguardam a noite de núpcias com um misto de curiosidade e prazer! Cuidado com tal atitude! Um marido egoísta e sensual pode facilmente tirar vantagem de tal noiva. Nunca se esqueça de uma regra capital, para qualquer casamento: dê pouco, raramente, e sempre de má vontade: do contrário, o que tem tudo para ser um casamento feliz pode transformar-se numa orgia dos sentidos.Por outro lado, o temor da noiva não deve ser extremo, porquanto o sexo, que, na melhor das hipóteses, é algo bastante doloroso, deve ser cultivado, e o tem sido pela mulher desde o início dos tempos, e é recompensado pela união monogâmica e pelos filhos. A maioria dos homens, se não lhes for negado, desejam fazer sexo quase todos os dias. A noiva sábia deverá permitir um máximo de duas rápidas relações sexuais por semana durante os primeiros meses do casamento. À medida que o tempo passar, ela deve envidar esforços para reduzir tal freqüência. Doenças simuladas, insônia e dores de cabeça são os melhores aliados de uma esposa quanto a isso. Argumentos, apoquentações, repreensões e questionamentos também são muito eficazes, se usados tarde da noite, cerca de uma hora antes de o marido normalmente começar sua sedução.As esposas inteligentes devem estar sempre alerta e cientes de novas e melhores maneiras de negar e desencorajar as aproximações amorosas de seus maridos. Uma boa esposa deve reduzir as relações sexuais ao mínimo. O ideal é uma só por semana ao fim do primeiro ano de casamento e uma por mês ao fim do quinto ano.Ao redor do décimo ano de casamento, muitas mulheres já completaram a sua prole e atingiram o objetivo final de terminar todo e qualquer contato com seus maridos. Nessa época, ela deve fazer do seu amor pelos filhos e das pressões sociais elementos eficazes que mantenham o marido em casa.Como já mencionamos anteriormente, a mulher, além de se manter alerta quanto a ter o mínimo de relações sexuais possíveis, deve também prestar muito atenção em limitar a espécie e a qualidade das relações sexuais.(..)

A mulher inteligente terá por objetivo nunca deixar que o marido a veja despida, nem que este se apresente despido. Praticar sexo, quando este não puder ser evitado, só em total escuridão. Muitas mulheres acham muito útil usar uma pesada e grossa camisola de algodão e providenciar pijamas para o marido, e não tirá-lo durante o ato sexual. Assim, um mínimo de corpo ficará exposto.Uma vez que a noiva tenha colocado a sua camisola e apagado todas as luzes, ela deve deitar-se quieta e placidamente ao longo da cama e esperar pelo noivo. Não deve fazer qualquer ruído que possa, na escuridão, orientá-lo em sua direção; caso contrário, ele poderá interpretar isso como um sinal de encorajamento. Ela deve deixá-lo andar às apalpadelas no escuro. Existe sempre a esperança de que ele venha a tropeçar e sofrer alguma lesão, que, por mais leve que seja, possa vir a ser usada como desculpa para negar qualquer contato sexual. Quando ele a encontrar, ela deve permanecer tão imóvel quanto possível. Qualquer movimento de sua parte pode ser interpretado como excitação sexual. Se ele tentar beijá-la nos lábios, ela deve virar ligeiramente a cabeça de modo que o beijo alcance inocentemente as suas bochechas. Se ele tentar beijar-lhe as mãos, ela deve mantê-las com os punhos fechados. Se ele levantar a sua camisola e tentar beijá-la em qualquer outra parte do corpo, ela deve, imediatamente, puxar para baixo a sua camisola, pular da cama e anunciar que a mãe natureza a chama ao banheiro. Isso, geralmente, amortecerá o desejo dele de beijá-la em territórios proibidos.Se o marido tentar seduzi-la com conversas lascivas, a esposa inteligente repentinamente lembrar-se-á de perguntar-lhe alguma coisa trivial e não sexual. Uma vez obtida a resposta ela deve prosseguir a conversação, não importando quão frívola ela possa parecer na ocasião. (...)Ela deverá permanecer absolutamente calada ou falar sobre seus afazeres domésticos, enquanto ele realiza as manobras que o ato sexual requer(...) Tão logo o marido complete o ato sexual, a mulher inteligente deverá começar a aborrecê-lo com conversas sobre tarefas que ela quer que ele realize no dia seguinte. Muitos homens obtêm a maior parte de sua satisfação após a pacífica exaustão que se segue ao ato. Sendo assim, a mulher inteligente deve assegurar-se de que ele não tenha paz nesse período, pois, do contrário, ele logo se achará tentado a querer um pouco mais. (...)

Escrito por Ruth Smythers, esposa de um pastor da Igreja Metodista Arcadiana da Congregação Regional Leste, Reverendo L. D. Smythers


Foda-se é desta que eu vou virar muçulmano!

É assim mesmo!

Uma juíza alemã negou o divórcio imediato a uma mulher de origem marroquina vítima de violência doméstica por considerar que o Corão não proíbe esse tipo de prática, passando por cima da legislação do seu país. A revelação do caso está a gerar uma onda de indignação no país que já levou ao afastamento da juíza do processo.
A primeira reacção surgiu na imprensa, que esta manhã dava grande destaque ao caso. "Onde vivemos? Uma juíza autoriza o espancamento de uma mulher e refere-se ao Corão", titula o diário popular "Bild", enquanto o jornal de esquerda "Taz" cita na sua primeira página o versículo 34 do sura 4 do Corão: "Se temes que a tua mulher se rebele, então ameaça-a, rejeita-a no teu leito conjugal e bate-lhe".


Ora agora é que falamos! Isto no cristiannismo não é nada assim: chega-se a casa, a mulher não fez o jantar, não lavou a roupa e o homem ainda tem de falar baixinho...Eu vou virar é muçulmano!

terça-feira, março 20, 2007

Aqueles tempos...

No outro dia em conversa alguem se sai com um 'Ah, mas são verdes'.
Foi como um revival. Quem não se lembra de ter 12 anos e empregar com sucesso expressões tão ricas como:

Quem arrota quer pichota
Quanto mais prima mais se lhe arrima
Conheces o Zé? Qual Zé? Aquele que te deu um pontapé
A Bela mandou-te beijos. Qual Bela? A minha bela picha.
Peter Pan em cuecas e soutien
És boa como o milho, é pena é eu não gostar de pipocas
Cu que fala quer bengala
Queres um chupa misto?
A tua avó torta
Arrota puta que comeste grelos
Vai para a bardermerda
És um cara de cu à paisana
Vou-te chegar a roupa ao pêlo
Cor de burro quando foge
Sai da frente que carne de porco não é transparente
Dá-me lá um bacalhau
É de partir a moca
E depois morreram as vacas e ficaram os bois
Estás com o pito aos saltos
Fia-te na Virgem e não corras
Comigo não fazes farinha
Quanto mais juras mais mentes!
Estou quilhado
Querias! Batatinhas com enguias
Ri-te ri-te, quando for pelo cu até choras

Ai, que saudades...

sexta-feira, março 16, 2007

Isto não é uma discoteca!

'As novas orientações da Igreja, em especial da missa, são assinadas esta quarta-feira pelo Papa Bento XVI. Entre as linhas orientadoras estão várias decisões que podem ser polémicas. O excesso nos abraços da paz, as palmas e a música que se toca e canta são algumas das «correcções» que devem ser feitas e que foram apontadas pelo bispo de Roma.
Considera o Papa que a saudação da paz «pode assumir expressos excessivas, suscitando um pouco de confusão na assembleia precisamente antes da comunhão. O gesto deve ser limitado a quem está mais próximo». Bento XVI coloca mesmo a hipótese de colocar este momento noutra parte da missa.
A missa deve ser mais «sóbria» e a música assume um papel fundamental. «É necessário evitar a improvisação genérica ou a introdução de géneros musicais que não respeitem o sentido da liturgia». Baterias, palmas ou guitarras eléctricas podem ter de ficar à porta. Em substituição o canto gregoriano deve ser adoptado.
O pontífice chama ainda a atenção para a importância das idas à igreja. A televisão não cumpre o preceito dominical e ninguém deve dispensar-se de ir à missa. O latim deve também ser mais utilizado na celebração.'


Hum, a ver se percebi: missas em latim, só com canto gregoriano e sem apalpões durante a saudação de paz. Prevejo um aumento de fiéis nas missas, sem dúvida.

quinta-feira, março 15, 2007

Antes e depois

Há um ano atrás...


















Daqui a um ano (de trabalho):


terça-feira, março 13, 2007

Parabéns Robene!

Pois é. Apesar de manifestações de grupos de idosos em revolta, do ministério da saúde, do Infarmed, da ANF e de um modo geral da população na Terra, o Robene arranjou emprego. E no sítio onde estagiei! Parece que o meu charme sexual é irresistível em todo o lado!

Como?

Na discoteca, na última terça feira:
Rapaz (dirigindo-se para mim): Opá, arranjas-me um cigarro? Vá lá, eu hoje faço 19 anos.
Eu: Na boa. Parabéns pá. Faz hoje um mês que fiz 24.
Rapaz (olhando chocado): Tens 24? E o que é que andas a fazer na discoteca?
Eu (com cara de parvo): Então? Não sou assim tão velho!
Rapaz: Não, não me leves a mal. Mas é que eu com 24 anos já me imagino a fazer outras coisas, não propriamente ainda a vir a discotecas.
Eu: Ops, parece que se me acabou o tabaco.

Sim, claro. Espera até teres 24 anos rapazola. Depois falamos. Provavelmente na discoteca mais próxima.

Eu também acho

Do melhor que li ultimamente: As calorias são pequenos animais que habitam nos roupeiros e que apertam as roupas das pessoas.

Abdominais de aço

Comecei hoje a minha rotina ‘Abdominais em 8 minutos’ que encontrei algures no Youtube. Os primeiros resultados já estão à vista: dores lancinantes no pescoço e impossibilidade de me rir devido a espasmos incontroláveis no abdómen.

segunda-feira, março 05, 2007

Manif!

Depois de o xarope-pa-tosse ter levado a cabo várias mobilizações como «Vamos ensinar as portuguesas que ter buço não é bonito» ou «Sexo anal baixa o colesterol», está na altura de outra mobilização! O fabuloso blog pulpfashion fechou! É inadmissível! Vá Mia, queremos mais posts desse teu humor mordaz e que já faz falta! Ainda por cima, por estes dias não ando a fazer nada e já não tenho o teu blogzito para ler. Não se faz! Queremos o Pulpfashion de volta!

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Óscares

Ontem a edição dos óscares foi tão longa que me deu a impressão que se aquela merda não acabasse rapidamente o Clint Eastwood e o Peter O'Toole ainda iam parar áquela parte em que se relembram os actores que morreram no ano corrente.

P.S. Departed melhor filme? Blarghhh. Mas a academia viu o Little Miss Sunshine?

Só gente fina

Pois é meus amigos, agora instalei uma funcionalidade no meu blog que me está a ser mais frutuosa do que pensava. Já viram aquela coisinha laranja que está aí do lado direito? Além de conseguir saber quantas pessoas visitam o meu blog consigo também saber como é que elas chegaram ao meu blog. Assim, tenho o orgulho de anunciar que três dos meus novos leitores assíduos do blog (espero eu) chegaram ao xarope-pa-tosse através de pesquisa no google para gajas+a+apanharem+de+cavalos ; o+que+é+uma+puta ; contratar+strip+portugal. Prometo aos meus novos leitores aprofundar a fundo estes temas por forma a manter a clientela interessada!

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

É Carnaval!

É Carnaval! Finalmente chegou a altura preferida da maioria dos homens portugueses, em que se podem vestir de mulheres em frente a toda a gente e não às escondidas da esposa como é costume.
Mas há uma coisa que eu não entendo: essa mania ridícula de imitar o Carnaval brasileiro. O povão sai à rua para ver as meninas a tiritar de frio ao mesmo tempo que bamboleiam a celulite em fatos que deixam ver muito mais do que aquilo que desejaríamos. Mas alguém já se lembrou que no Brasil fazem alguns 40º graus e que aqui mal se chega aos 10ºC? Depois temos as belas das Tugas a tentar sambar demonstrando ainda menos coordenação motora que o Stephen Hawking, enquanto por dentro estão quase a ficar em estado de hipotermia e têm os mamilos mais rijos que pitons de alumínio.
E por último temos os reis do Carnaval! Mas quem em seu perfeito juízo sai de casa para ver a Floribella (essa nem precisa de disfarce) ou o Fernando Rocha desfilar? Mais valia por uma esfregona com um vestido cor de rosa choque e um rádio com uma cassete a repetir Caralho, puta que pariu, oube láááá. Ia dar ao mesmo.

Mais vale parecê-lo

Nunca pensaste chegar a esta situação. Já entradote nos 20 e ainda não arranjaste ninguém. Na verdade sabes que o teu aspecto não é dos melhores. O teu código genético traiu-te e pareces uma mistura do Danny de Vito (a fazer de Pinguim no Batman) com o Sylvester Stallone (mas só a parte esquerda que está paralisada). Passas os dias no ginásio a malhar ferro e a enfardar esteróides como se nem precisasses dos rins, mas mesmo assim continuas mais escanzelado que aquele D’ZRT mais feioso. Até já concorreste ao doutor preciso de ajuda, mas os médicos cometeram suícidio no dia a seguir à tua consulta.
Caro amigo, resta-te apenas uma opção: Dinheiro. Tens de ser rico. E se não tens pais ricos, não ganhaste a lotaria e os cabrões do BES não te dão crédito o mais fácil é fingires que és rico. O xarope-pa-tosse ensina-te como!

Roupas: Se queres parecer rico, as roupas são provavelmente o mais importante. Podes optar pelo estilo Manuel Luís Goucha: é barato (basta arrancares os cortinados da cozinha e fazeres uns fatos com eles três números abaixo do teu verdadeiro número), mas podes acabar por não conseguir papar nenhuma gaja, mas sim o vizinho do lado. Opta por um estilo mais sóbrio: Rodrigo Guedes de Carvalho: Vai a um cangalheiro e compra uns fatos (escolhe fatos de pessoas que tiveram mortes limpinhas, nada de mortos em enforcamentos, ainda te calha um gajo que se borrou). Depois arma-te em intelectual, escreve livros que ninguém percebe e faz um argumento para um filme de terror que plagiou todos os filmes do género dos últimos 30 anos (e que mesmo assim é mau).

Vocabulário: O vocabulário distingue uma pessoa. Uma pessoa fina nunca diz fiz madeixas no cabelo, mas sim fiz nuances no cheveux. Aliás, falar em francês é meio caminho andado para se parecer rico. Nunca mais te refiras ao teu engate como a minha cabra, mas sim c’est ma putaine.
Diz-lhe coisas amorosas como queres provar ma baguette?
J’adore ta conquilhage
ou mamas ou não há rien pra ninguém

Casa: Quando finalmente a levares para casa e estiveres quase para lhe fodrer la spine, lembra-te que a tua casa tem de parecer de gente rica. É muito simples: dirige-te à lixeira mais próxima (ou a casa dos teus avós) e escolhe as merdas mais horrorosas e decrépitas que encontres (é capaz de ser mais fácil na casa dos teus avós). Depois diz-lhe que gastaste montes de dinheiro em decoradores mas que conseguiste ficar com o estilo retro-new-wave-kitsch-e-essas-merdas-meio-apaneleiradas que tanto querias.
Quando estiverem romanticamente na banheira a tomar um banho de imersão, peida-te e diz que mandaste colocar um sistema de hidromassagem mesmo ontem.

Pequenos pormenores: É aqui que se vê quem é rico e quem faz de conta que é rico. Toma nota: os teus desportos favoritos têm de ser golfe ou pólo ou qualquer um que envolva pegares em tacos ou montares cavalos excitados.
Manicure e pedicure não são os nomes das irmãs venezuelas que papaste a semana passada, mas referem-se a mulheres que te tratam das unhas e dos pés.
Existe mais do que um tipo de garfo e faca, embora nós aqui no xarope-pa-tosse continuemos sem saber muito bem para que servem os outros todos.

Preparados para uma vida de riqueza (fingida)?

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Isto realmente...

A pedido de muitas famílias voltei ao aspecto antigo do Blog. Isto há gente que não fica contente com nada...

Ainda há pouco...

Sempre pensei que quando chegasse aos 24 anos as coisas seriam por magia iluminadas e eu, como pessoa adulta que já seria, saberia como fazer tudo e de forma correcta. Puro engano. Que saudades da adolescência. Perguntei aos meus dois leitores do Blog o que é que se sente enquanto adolescente, mas parece que eles ainda não atingiram a puberdade. Mas eu ainda me lembro bem do que foi ser adolescente:

Adolescente: Acordava de manhã com outra borbulha na cara e pensava: Daqui a uns anos isto já não me aflige
Hoje: Acordo de manhã com outra borbulha na cara e penso: Foda-se, mas esta merda nunca mais acaba?

Adolescente: Ia para uma discoteca, roçava-me fortemente nas gajas do lado, saltava a noite toda após ter bebido duas cervejas.
Hoje: Vou a uma discoteca. À uma da manhã começo a bocejar. Às duas da manhã interrogo-me como é que alguém consegue dançar merdas marteladas que parecem saídas da metalúrgica mais próxima. Às 3 da manhã reparo que toda a gente é mais nova que eu e que anda tudo a roçar-se uns nos outros e aos saltos depois de terem bebido duas cervejas Pergunto-me se se terão sentado em cima de alguma pilhas Duracell. Às 4 da manhã reparo que já bebi um barril de cerveja e não estou ainda levemente animado. Às 5 da manhã pergunto-me o que é que esta gente anda a tomar para ainda estar a dançar.

Adolescente: Tudo de mal que possa acontecer na vida é culpa dos pais.
Hoje: Tudo de mal que me acontece na vida é só culpa minha.

Adolescente: Olhava para as pessoas da geração anterior com admiração. Andavam na faculdade, iam a festas, comiam gajas e conduziam.
Hoje: Olho para as pessoas da geração anterior com pena. Andam todas desesperadas a tentar arranjar homem, bebem descontroladamente, têm filhos e o ponto alto da semana é o passeio dos tristes ao Domingo ao shopping mais próximo.

Adolescente: Acordava de manhã com os lençóis molhados e, com a recordação dos sonhos dessa noite, molhava-os um pouco mais.
Hoje: Acordo de manhã com um aperto de coração. Ainda penso em molhar os lençóis, mas reparo que estou atrasado para o trabalho e que ainda tenho de escolher a roupa, tomar o pequeno almoço e escovar os dentes. Os meus sonhos são um misto de pesadelo em elm street com pessoas a gritarem-me ordens e a mandarem-me para o caralho.

Adolescente: O sexo é totalmente desastroso, mas há-de melhorar.
Hoje: Sou o verdadeiro animal sexual.
Dir-me-ão que ando saudosista. Dir-vos-ei para apanharem no cu. Um homem não pode ter saudades?