terça-feira, outubro 21, 2008

Paris, Texas

Apesar de Deus (ou o Bigfoot) me ter dado um rol de qualidades inumeráveis, o sentido de orientação não foi uma delas.
Aproveito para dizer agora que, no Sábado, me deu na veneta ir ver a Aimee Mann a Lisboa. Sem GPS. E sozinho.
Vejo o roteiro na net, e penso: tu consegues Robene. Tu és um gajo maior de idade, tens carro e acima de tudo até falas português que se entenda. Tu consegues chegar ao Coliseu.
E lá vou eu, tanque cheio e cigarros no bolso.
Na autoestrada tudo bem. Mantive-me sempre na faixa da direita, nunca passei os 90, e fui cantando alegremente músicas da Aimee Mann para entrar no espírito.
E eis que chego a Lisboa. E eis que o caminho por mim decorado está...CORTADO AO TRÂNSITO. Panico um bocado. «Tu consegues Robene, tu consegues», mas os meus tomates estão cada vez mais encolhidos.
Pergunto ao sôr polícia por onde devo ir para chegar ao coliseu. O polícia responde qualquer coisa como «Vai-te foder coimbrinha do caralho, não te vou dizer nada». Ou me disse isto ou me deu as indicações, mas vai tudo dar ao mesmo, porque eu não sou de lisboa e mesmo que ele me tenha dado as indicações eu não percebi um caralho.
Durante o que me pareceu dias a fim, tentei encontrar o Coliseu e por fim lá dei com o sítio.
Entro, sento-me, ainda o coração a palpitar (já para não falar que fiquei com o Pedro Granger ao meu lado, por pouco estive para me vir embora). Lá vejo o concerto (bela merda, por sinal), e preparo-me então para sair.
Durante duas horas (2HORAS) tento encontrar o caminho de volta para a A1. Fumo um maço inteiro em desepero. Dou voltas e voltas, querendo pedir indicações a alguém, mas toda a gente me parece ou putas, ou ladrões ou paneleiros. Tranco o carro não vá ser vítima de carjacking.
Quando dou por mim, estou parado no Martim Moniz, quase em lágrimas, rezando a Deus (ou ao Bigfoot) para sair dali com o meu carro e já agora anûs intacto.
Eventualmente dou com o aeroporto, e choro de alegria por finalmente estar na A1.

Sair de Coimbra outra vez? Nunca mais. Esta é a minha safe zone.

7 comentários:

Anónimo disse...

Róbene, por mais que te respeite, que tontice foi essa????
Lisboa sozinho????TUUUUUU?
Mas há aí um sinal claro d desenvolvimento...PASSASTE OS 70!!!!!!
Braaaaavoooo!!!:)
ji da pusissi

ZaniNE disse...

Dass, ninguém se lembra de ir ver Aimee Mann a Lx, ainda por cima de carro! Vai-se tão bem de comboio... Mas azar, azar é ficares ao lado desse paneleirote. vou-te dizer pedia o reembolso do meu rico dinheirinho!

Fico feliz por teres encontrado o teu caminho, intacto, e teres ganho juízo - Lx nunca mais!

Joanissima disse...

Robéne, assim de repente só me ocorre que isso foi castigo derivado de teres saído da nossa bela Lusa-Atenas e, pior, por teres ido ouvir Aimee man.
Já um Tiago Silva ou - pra maluqueira - um Coisas Boas e Cheirinhos... pronto, era aceitável!!!


(vou procurar um link e já cá te volto!!)

Joanissima disse...

http://www.myspace.com/coisaslindascheirinhos

Miudo, ISTO é musica, ok????
Isto é de homem. Destaco-te o Tony Camionista.
Um hino!

pega beijos!!!

Trindade disse...

Homem, tu dás vida ao meu lado SM... quanto mais sofres, mais eu rio...
E o que a malta queria saber mas teve vergonha de perguntar é... cagaste em Lisboa?

Tony disse...

por mto k keiras ser , nunca seras de coimbra.....

Artemisa disse...

Como te entendo...

sim, moro nos arredores de lx...e volta e meia lá me perco....sou uma triste desorientada :p
Curiosamente tb já dei por mim no Martim Moniz, em busca da A5...será que aquilo tem algum tipo de íman?!?!? LOLOL