sexta-feira, julho 18, 2008

Doutores e Engenheiros

Há quem tenha medo de morrer. Medo de alturas ou de andar de avião.
O meu maior medo na vida é um dia acordar e ser um beto.
Olhar-me ao espelho e ter um cabelinho à la foda-se, um pólo Sacoor com o rato Mickey nas costas e uns sapatos de vela castanhos. E depois ir num Audi em segunda mão tomar o chá das cinco com alguém com apelido Menezes ou Lima.
Passo a explicar: Coimbra é a cidade com mais betos por metro quadrado do país. E não há um único que me deixe boas recordações. Aliás, um deixou-me uma bela recordação sob a forma de uma mossa no meu Fordinhas querido. Ganhou o caso em tribunal, apesar de ir bêbado e em excesso de velocidade. Mas não nos esqueçamos que tinha Lima no apelido, e era filho de gente importante.

(flashback doloroso, algures em Setembro de 2003)

Pai do betinho: Sou o DOUTOR DE Lima. Como o devo tratar? Doutor? Engenheiro?
Robene: Por Robene.

Por isso e apesar de já viver em Coimbra para cima de sete anos e de efectivamente adorar esta cidade, continuo a reinvidicar a minha nacionalidade aveirense. E já agora o meu apelido, Santos.
Mais Português é impossível.

20 comentários:

Anónimo disse...

desculpe mas eu sou SILVA!
))

Anónimo disse...

Exacto!!!SILVA meu caro róbene e com mt orgulho d ter vivido 17anos nas imediações de coimbra e NUNCA, NUNQUINHA, ter sentido o apelo de ser uma betinha!!!!
VIVA EU!!
ji muuuuuuuuuuuuuuuito grandeda PUSSISSI(que plos vistos perdeu o direito a ter o seu nick aqui a aparecer)

Margarida disse...

Eu sou Almeida, estudei em Coimbra e continuo a ter medo de todos esses betos que habitam por aí...

Boa sorte com eles, Doutor Robene Santos! :)

Maria Inês disse...

Hum... eu sou Ferreira, também é bom, não?
E até tenho amigos betos... mas tomei a vacina.

Fogo disse...

Mais português ou igualmente português é possível – o meu: Silva.

Estudei em Coimbra e sou de perto, muito perto.
Mas não suporto o ar a Doutores e Engenheiros daquela cidade.
Tenho uma amiga que por causa de um “beto” se afastou e muito... é que eu não os suporto. Azar o meu! Foi logo ela apaixonar-se por um.
E para meu azar um beto nunca vem só.

:)

Anónimo disse...

bem eu sou Silva e Fernandes..j´viram algo tao sem sal?! coisinha fatela sem pedigri! lol
tentei ser doutor os apelidos eram fatelas de mais para eu ser isso... e dpeois foi parar a uam Universidae de betos!!! sim , havera uma coisa com mais betos do que a Nova de Lisboa?!
nao nao ha!!!
lol

Tony disse...

ainda tens salvaçao robene.... na altura deverias ter dito ao pai do betinho: Sua excelencia Róbene! se calhar ate ganhavas o caso em tribunal!! :-)

Maria disse...

Xiiiii e pela zona de Celas, parece que aquilo se multiplica, por isso tem muito cuidado!!!
De um momento para o outro podes ficar de camisinha aos quadradinhos, uma calcinha chino e o belo sapatinho de andar de barco!!!
Beijinhos para ti e dá um grande Olá à minha cidade, que apesar dos seus defeitos, muita falta me faz.

ZaniNE disse...

Eh pá, de todos os meus amigos que lá estudaram, independentemente de uns se terem tornado betos, outros paneleiros e umas ainda depravadas (e só não dou outro nome porque não recebiam euros em troca...) só uma característica foi comum a todos: perderam-se completamente na noite! Mentiram aos pais - não conseguiram passar do 1º ano do curso, nos 3 primeiros anos lá, passaram a fumar, beber e foder compulsivamente, consumiram drogas...

Acredita que sempre pensei em Coimbra como a cidade da perdição e nunca dos betinhos! Mas obrigado por me abrirem os olhos! Thank U!

Robene disse...

Fumar beber e foder compulsivamente? Há toda uma Coimbra que eu tenho urgentemente de descobrir...

Robene disse...

Já agora, eu vivo nos Olivais, que é uma zona relativamente beto-free. Agora ali para Celas e para a Solum...Fujam!

riacrdoo disse...

Perdoai-lhes, Senhor, que não conhecem a fful!

ZaniNE disse...

Não disse que achava mal, o estranho é comparar o antes e depois...

Antes: acólito; menina do papá; aspirante a advogada.

Depois: mentiroso compulsivo; tarada/pervertida (a tal q só não recebia € em troca); e licenciada adulterada.

Não digo que seja só em Coimbra, mas que aquilo lá é duro...?

Robene disse...

Hum, efectivamente a vida em Coimbra é muito convidativa a...bem...perder o tino. I rest my case...

Robene disse...

OLA PUSISSIIIIIII!

Anónimo disse...

Olá RÓÓÓÓBENE!!!!!qdo for aí, jantarada!!!!:):)
ji

medusasss disse...

Róbene, O Sôtor é uma rara excepção, já que mais betinhos que em Direito ou Medicina, só mesmo em Farmácia!
lol
Boas férias!

Robene disse...

Hum...haviam uns quantos sim, mas do meu ano não me posso queixar...Também não posso falar muito, porque punha os pés na faculdade...ehehe (alguém me perguntou no segundo ano: mas ainda cá andas?)

Miss Kin disse...

Primo Santos, lembraste-me q esse tipo de betos ainda existem, é q os de Lisboa e toda a linha de Cascais, agora passaram a betos radicais, fazem surf, usam calças largas, ténis Merrel, t-shits... O cabelo ainda pode ser o mesmo, mas dão-lhe um bocadinho de mais vento, ou então é cortadinho à Morangos com Açucar...
Quer dizer, é todo um look Morangos!

Anónimo disse...

Vivo em Celas e não sou beta (juro!) mas consigo explicar porque há tantos betos nesta zona. Já alguma vez estiveram na Figueira da Foz? Cresci lá perto e asseguro que nem em Lisboa há tanto beto por metro quadrado. Acredita que se expulsares de Coimbra todos os figueirenses a quantidade de betos em Coimbra, principlamente na zona de Celas, diminui drásticamente.

Rita *