quinta-feira, março 15, 2012

Velocidade furiosa

O G. e a J., em honra ao seu recente noivado foram saltar de pára-quedas. Poderiam ter optado por um jantar romântico ou uma viagem especial mas decidiram que a melhor forma de festejar o compromisso para a vida era tentar morrer de forma dolorosa e com várias hemorragias internas.
Claro que o Robene foi ver o salto, sedento de gritos e quem sabe, uma perna partida ou ossos expostos. Eu próprio saltaria de avião. Se tivesse um cancro terminal, com dois dias de vida.
Chegamos ao sítio do salto, o G. com um grande sorriso, a J. á procura do minimercado mais perto para comprar fraldas. Eu obrigo o G. a assinar um papel em como fico com o sistema home-cinema dele caso alguma coisa corra mal.
Antes de saltarem, estão já uns quantos mafarrecos a saltar. A determinada altura vemos um pára-quedas a cair vertiginosamente, todo enrolado. O páraquedista parece ter perdido o controlo. Eu rio-me e bato palmas, à medida que a multidão acorre em massa soltando urros de preocupação. Afinal de contas o que estava a cair era o pára-quedas de segurança. Bastante desiludido volto a concentrar a minha atenção no G. e na J. que estão a receber as instruções para o salto, que basicamente consistem em enrolar as pernas no gajo que salta com eles e simular uma cena de sexo anal. «Mete as pernas por dentro das minhas, e coloca os braços ao lado da cabeça. Depois relaxa». Hum...eu próprio já disse esta frase várias vezes, noutros contextos.
Quanto ao salto em si não há muito a dizer: fiquei com um torcicolo de tanto olhar para cima e a determinada altura quando percebi que nada de excitante ia acontecer fui tomar café e fumar cigarros.
Quando tocaram no solo, o G. e a J. foram-se abraçar e beijar, numa cena melodramática que me fez questionar porque raio tinha acordado às 7 da manhã para vir ver duas pessoas a saltar de pára-quedas. Ainda pensei que pudessem estar tontos do salto, e que houvesse uma queda chocante com os dentes no chão, mas nada...

Sugeri já um fim de semana de Arboring. Vou levar umas facas e sabotar algumas cordas.

2 comentários:

micose ou mifrita disse...

Robene, normalmente o arboring faz-se a alguns metros do chão (mais que 2). Eu achava melhor pedires umas fraldas emprestadas à J, just in case

asustentavellevezadosdias disse...

o que é que te deu? posts diários? ou quase, vá. tu queres é cenas de faca e alguidar. depois conta a experiência do arboring, mais uma cena marada de certeza.