quinta-feira, novembro 04, 2010

Sebastião, o Bonsai com prazo de validade


Há muitos muitos anos atrás, ainda o Claúdio Ramos era casado com uma mulher e 2 pessoas em Portugal acreditavam que ele era heterossexual, eu e o pessoal com quem vivia decidimos que queríamos ter um animal de estimação.


Durante pelo menos 2 semanas, o M. quis comprar um furão. Tínhamos visto um filme qualquer com o Ben Stiller numa noite de bebedeira do sono, em que havia um furão lá pelo meio e ele achou imensa piada. Entretanto alguém nos disse que os furões eram bastante perigosos e que arrancavam olhos com as dentuças, pelo que eu já me imaginava trancado no quarto, agarrado a uma faca à espera da hora em que um furão em fúria me entrasse pela porta para me reclamar o escalpe.



Decidimos então comprar um rato. Decidimos não, o M. chegou a casa com o rato. Ou melhor, a rata. Chamava-se Pringles e era a coisa mais estúpida de que tenho memória. Passava o tempo enfiada na casota e corria na sua rodinha mal oleada durante a noite toda, não deixando ninguém dormir. Mordia as mãos de toda a gente e quando estava com o cio, coisa que parecia que estava a toda a hora, atirava-se violentamente contra a gaiola.



A existência da Pringles não foi feliz e eventualmente acabou graças a um triste acidente de que não há memória (o L. pegou na rata, deixou-a cair no chão, a rata começou a sangrar do nariz, metemo-la novamente na gaiola e fizemos como se não tivesse acontecido nada. No dia a seguir, a Pringles estava morta, para surpresa de toda a gente.)



Resta-me dizer portanto que me ofereceram um Bonsai, para alegria do mundo animal.



Parece que os Bonsais são as coisinhas mais paneleiras que existem no mundo. Tenho de o virar de duas em duas horas para apanhar sol em todas as folhas, regá-lo com a quantidade de água ideal (do Luso), falar com ele todos os dias e dar-lhe um nome.
Ninguém me informou desta trabalheira toda quando mo deram. Agora tenho de organizar a minha vida consoante o ciclo de vida do raio do Bonsai. Ainda por cima não combina em nada com a decoração da sala.



Aliás, lembro-me agora que quando morava com a malta, consegui matar os três bonsais que o M. tinha, através de excesso de fertilizante.



Dou-lhe mais uma semanita de vida.

6 comentários:

Sahaisis disse...

creepy..principalmente a parte do homicidio, perdao, acidente da rata.,

a_secretaria_executiva disse...

lamento, mas por mais que tentes não o irás matar numa semana, a menos que o atires fora.Estás a fazer tudo mal. Que tal pesquisares qualquer coisa sobre bonsai 1º? Os bonsai são bem melhores de aturar que as pessoas. tenho 21 árvores e detesto quando alguém as compra só porque é giro e depois deixam-as morrer. SAVE SEBASTIAN!!!

yevgeny disse...

Já matei 3 bonsais..

Juana disse...

eu consegui matar um.

jacare disse...

Eu matei inúmeros cactos e duas canas de bambu. O mundo vegetal treme com a minha presença.

Anónimo disse...

ja morreu? falta mt?