terça-feira, abril 15, 2008

I love the smell of semen in the morning

Quamdo tinha 15 anos decidi que era muito intelectual e resolvi ver o Apocalypse Now.
Passados 15 minutos de filme já o meu interesse se tinha desvanecido todo e estava era a ver o (infelizmente) extinto canal Viver/Vivir horário das duas da manhã. As memórias que tenho do Apocalypse são coisas do género «I love the smell of napalm in the morning» intercalados com «Oh si, dá-me-lo com fuerza cariño».

Sempre pensei que quando fosse mais velho iria entender o chamamento destas obras primas.

Dez anos depois eis-me numa noite de serviço, Apocalypse Now Redux nas mãos. E quem pensa que o Redux diz respeito a uma versão mais curta e condensada do filme, quais livros das Selecções do Reader's Digest desengane-se. O Filme dura 3 horas e 5 minutos. E teve a proeza de, à hora e meia, me por a dormir, coisa que nunca me tinha acontecido em nenhum serviço.

Não contente decido alugar o Blade Runner. Harrison Ford em busca de uns rôbos que pelos vistos são humanos e têm muitos problemas de metafísica. Mais uma vez adormeço algures nos 40 minutos.

Começo a pensar que não sou assim tão intelectual quanto os meus óculos de massa preta dão a entender.

Principalmente quando adorei coisas como este filme:


Tem a Rose Mcgowan que é uma stripper cuja perna foi comida por um Zombie, e substituída por uma potente metralhadora que dispara sem ser preciso carregar em nenhum gatilho. E sim, para mim é o melhor filme de 2007.

3 comentários:

Pusissi disse...

ui ui ui ui, tanta confusão vai nessa cabecinha... Róbene, não concordo nada com você nesta matéria! Não acredito que vemos filmes porque somos intelectuais mas sim porque gostamos. Eu aprecio bastante os chamados clássicos e sobretudo tenho muita curiosidade em vê-los.Se são tão falados, então vou espreitá-los para ver se vaelm o que se diz sobre eles.
Era bastante nova quando vi tanto o Apocalipse Now e o Blade Runner e gostei, não por ser intelectualóide mas... Porque sim!Psycho, Platoon, Era uma vez na América, Padrinhos, Nasceu uma estrela, os musicais dos anos 30, 40... Quando toca a falar em arte, não acredito em intelectualismos, só em gostos.
E nada melhor pra uma noite que ver uma louraça peituda a espalhar sangue por onde passa, sem dizer praticamente nada (falo no KILL BILL, porque infelizmente ainda não vi a menina de metralhadora na perna..:(
ji

Maria disse...

Bem não gostaste do Blade Runner?? Uhmm temos sarilho aqui na tasca, está visto hehe!
Gostos não se discutem,
Beijinhos
Maria Pi

insónia disse...

eu sou muito intelectual com os meus oculos de massa azuis e gostei muito do planet terror